Publicidade
Manhal Kasouha: tradutor juramentado de árabe no estado de Santa Catarina e professor desse idioma em Florianópolis. (Foto Divulgação)

 

Uma inscrição vem intrigando os motoristas que passam pela rua Deputado Edu Vieira em direção à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis. O que significa a “pichação” que se encontra num muro nas proximidades da universidade, conforme o leitor pode ver no cabeçalho deste breve texto?

Na realidade, é uma inscrição de língua árabe e, para decifrá-la, consultamos Manhal Kasouha, 50, o tradutor juramentado de árabe de Santa Catarina, que mora no centro de Florianópolis.

Natural da Síria e formado na antiga União Soviética, Manhal casou-se com uma dentista de origem síria da comunidade árabe de Florianópolis. Acabou tornando-se o tradutor juramentado de árabe do estado de Santa Catarina. É de Manhal a autoria de várias traduções para o árabe de livro e material de propaganda das potencialidades econômicas catarinenses que o falecido ex-governador Luiz Henrique da Silveira (1940-2015) levou em viagens a países árabes para onde ele foi com o objetivo de vender frango e outros produtos de Santa Catarina.

“Manhal, o que significa essa inscrição?”, perguntamos pelo whattsapp e Manhal respondeu: “Feras”.

Não se trata de “feras” no sentido de “animais selvagens”, “felinos” ou algo do gênero. Segundo Manhal, “Feras” é um nome de pessoa em árabe, melhor dizendo, o nome de um homem. O som é exatamente esse: “Feras”.

“Os árabes têm costume de escrever seus nomes nas paredes das ruas”, explicou Kasouha.

Em resumo: um cidadão chamado “Feras”, quem sabe um refugiado da guerra da Síria (ultimamente Florianópolis recebeu um bom número desses refugiados) “pichou” seu nome num muro próximo à UFSC em Florianópolis. Talvez a palavra “pichação” não seja a mais adequada porque, ao contrário das pichações comuns no Brasil, a inscrição em questão é mais caprichada.

“Manhal, “Feras” tem algum significado em árabe?”, perguntamos.

“”Feras” significa “cavaleiro” em árabe”, respondeu o tradutor.

 

AULAS DE ÁRABE

Se o leitor se interessou pelo árabe e quer aprender essa língua, o tradutor Manhal mantém há 10 anos um curso dessa língua como também de russo, idioma que aprendeu com fluência completa quando estudou por seis anos na antiga União Soviética na década de 1980.

Entre em contato pelo fone (48) 9-9991-2639 ou pelo e-mail prof.m@yahoo.com.br.

Publicidade