Publicidade

Moradores da rua Prefeito Paulo Alves Wildner, situada no bairro Universitário, em Biguaçu, reclamam de um terreno baldio situado naquela via onde fica a Loja Casas d´Água.

Segundo os moradores, o terreno pertence à OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Biguaçu.

A “bronca” é a de que o mato está alto, a prefeitura não limpa a área alegando ser particular e, nesse ínterim, sem uma definição com relação a quem deve limpar, ratos, cobras e outros “bichos escrotos” (lembrando da famosa canção da banda Titãs) refugiam-se no local.

OAB BIGUAÇU

A reportagem contatou com Carlos Eduardo Marinho, 35, popular “Cadu”, vice-presidente da OAB de Biguaçu.

Cadu informa que o terreno em questão pertence à OAB estadual e que há uma semana enviou ofício solicitando autorização da mesma para que seja feita a limpeza da área. Ele salienta que tudo que fizer na área precisa de autorização, pois a OAB de Biguaçu não é proprietária oficial da área.

Marinho lembra que há um ano já fez limpeza no local e que, inclusive, para “urbanizar” a área, havia instalado um rancho de obras. No entanto, o rancho teve de ser derrubado porque o local acabou atraindo usuários de drogas.

A OAB já instalou cercas no local, mas, segundo lembra o vice-presidente da OAB de Biguaçu, a mesma foi quebrada, pois há moradores que usam o terreno como passagem para algumas casas. Esta é uma questão que terá de ser resolvida no futuro, pois se a entidade constrói alguma edificação, logo é invadida por usuários de drogas e se instala cerca, acontece conflitos.

E sobre a limpeza, Marinho garante que é questão de pouco tempo para sair a autorização e a limpeza ser feita.

 

POST SCRIPTUM: Quando a reportagem estava postando esta matéria às 11h06 da manhã de hoje (quinta, 23/11), o vice-presidente da OAB de Biguaçu, Carlos Eduardo Marinho, o “Cadu”, recebeu telefonema da OAB do Estado dando autorização para a limpeza do terreno em questão. 

 

Publicidade