Por volta das 3h da madrugada de hoje (quinta, 14/12), a loja Magazine Luíza, situada na rua Getúlio Vargas, 40, a poucos passos da Praça Nereu Ramos e LITERALMENTE DIANTE DE UMA CÂMERA DE VIGILÂNCIA PÚBLICA, foi arrombada.

Ainda não foi feito o levantamento de prejuízos na loja. Segundo um funcionário, que pediu para não ser identificado (a direção da rede não é simpática à divulgação de dados sobre roubos, mesmo sendo vítima e sabendo-se que quanto mais notícias a respeito da insegurança, mais municiados estaremos para reivindicar providências das autoridades), trata-se do primeiro arrombamento dessa loja.

Vale lembrar que outras grandes lojas na mesma rua Getúlio Vargas já foram arrombadas e o método foi o mesmo: os bandidos chegaram com um carro, aceleraram de marcha ré para derrubar a porta de ferro, invadiram, encheram o carro rapidamente e “picaram a mula”, como se diz na gíria para “sumir do pedaço o mais rápido possível.”

 

PERGUNTAR NÃO OFENDE

O inusitado do arrombamento do Magazine Luíza de Biguaçu foi o fato de que, bem na frente, há uma câmera de vigilância pública, ou seja, os bandidos, ao que parece, não se intimidaram com câmeras e com a possibilidade de aparecerem policiais rapidamente.

Perguntar não ofende: prefeito Ramon Wollinger, o senhor vai exigir explicações dos responsáveis pela vigilância?

A pergunta tem razão de ser. É que ignoramos se essa câmara é de responsabilidade de funcionários contratados pela prefeitura de Biguaçu para fazer o monitoramento dentro da própria sede da prefeitura ou ela é interligada ao sistema da Polícia Militar.

Sim, a prefeitura contratou, não faz muito tempo, uma equipe para fazer o monitoramento das câmeras de vigilâncias. Se não nos enganamos, o trabalho é dividido: umas câmeras são de responsabilidade da equipe da prefeitura e outra da Polícia Militar (PM).

O fato é que a ousadia foi absurda: os bandidos acataram exatamente “debaixo do nariz de uma câmera de vigilância”.

COM TODO O RESPEITO: Só falta agora os bandidos invadirem a delegacia de polícia, o quartel da PM e o fórum da cidade. Aí a “festa” da sensação de total insegurança pública estará completa.

Desculpe, mas é o nosso desabafo!!!

 

REFLEXÃO

Se os bandidos gostam de arrombar caixas eletrônicos (os dos bancos do centro de Biguaçu já tiveram seus caixas eletrônicos arrombados pelos famosos “caixeiros”) e todas as grandes lojas da rua Getúlio Vargas já recebem a “visita” das gangues da marcha ré, tudo isso de madrugada (sim, tudo foi de madrugada), qual a conclusão que tiramos?

É preciso algum plano de segurança com agentes atuando em Biguaçu de madrugada? Blitze noturnas? Vigilância contratada pelo conjunto de comerciantes para dar o alerta quando algum carro suspeito aparecer? Fechamento das ruas de acesso à praça Nereu Ramos de madrugada?

O que fazer? Eis o desafio de se elaborar um plano de segurança.

Enquanto isso, a bandidagem faz  “excursões”.

 

Arrombamento do Magazine Luíza de Biguaçu na madrugada de quinta, 14 de dezembro de 2017. (Fotos Alemão do Posto)