Publicidade

A foto em questão foi tirada hoje (sexta, 06/04), às 10h e pouco, na frente da agência da Caixa Econômica Federal, na rua Leopoldo Freiberger, centro de Biguaçu.

A cena já está ficando cotidiana. É tanta gente que o povo tem de ficar do lado de fora. Aos poucos, o povo vai entrando, alguns indo para os guichês e outros pegando senha de atendimento.

Para variar, um cliente que queria pegar uma senha para o guichê com o objetivo de imprimir um boleto e outra para levar esse boleto mencionado ao guichê de pagamentos, recebeu a notícia de que “o sistema está fora do ar” no local onde ele queria imprimir um novo boleto de pagamento residencial.

Para entender a história: o cidadão estava pagando a prestação de seu financiamento habitacional que estava atrasado havia 15 dias.

O cliente recebeu pelo correio um boleto para o pagamento. No entanto, quando passou do prazo, o citado boleto não servia mais. Era preciso imprimir outro. No entanto, por incrível que pareça, no site oficial da Caixa Econômica, é possível imprimir a 2ª Via, mas esta não vem com o valor atualizado com juros. O site não atualiza esse dado.

E aí, prestam atenção ao detalhe: quem imprime a 2ª via e, desta vez, com o valor dos juros pelo atraso do pagamento, é o banco, que tem um guichê para isso.

Ora, não seria mais fácil e prático o banco ofereceresse esse serviço pelo seu site oficial? O cidadão não imprimiria o novo boleto já acrescido dos juros? Não levaria esse papel para pagar no guichê?

 

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.

bit.ly/WhatsJBFoco

 

Pois é! A coisa não para por aí. O boleto atrasado (2ª via) impresso no computador de casa e levado ao banco para pagar não vem com os juros e, para imprimir um atualizado no guichê da agência, é cobrada uma taxa. Preciso falar mais alguma coisa?

Pois bem! O cliente queria fazer a 2ª via no próprio banco e, ainda por cima, pagar a taxa. Isso sem protesto algum. O cliente queria pagar o que fosse para quitar sua dívida atrasada.

No entanto, conforme a funcionária informou, “o sistema está fora do ar”.

O cliente disse: “então vocês vão ter de aceitar que eu pague com o boleto atrasado que eu tenho aqui no bolso. Eu não vou voltar na segunda-feira, pagar mais juros só porque o sistema de vocês está fora do ar. Quero pagar hoje, agora, neste momento.”

E então o cliente pegou a senha para o guichê de pagamento. E depois de um tempo, foi atendido e o cliente deixou bem claro para o bancário: “O sistema está fora do ar lá no guichê da impressão de 2ª Via. Eu tenho aqui o boleto atrasado. Vocês vão ter que aceitar. Eu quero pagar e, depois, você vão cobrar o valor com os juros no próximo boleto. Espero que não venham com desculpas que isso não pode.”

O bancário concordou e aceitou o pagamento.

Parece óbvio que ele tinha de aceitar diante do fato de que não havia como pegar uma 2º Via na agência por causa do problema técnico do qual o cliente não era culpado, ou seja, o cliente não pode sofrer as consequências de um problema técnico do próprio banco.

No entanto, numa outra vez que isso aconteceu, foi o maior dos apuros, pois o banco Caixa Econômica não queria fazer isso, ou seja, não aceitou o boleto vencido e a 2ª Via impressa no computador de casa alegando que não tinha o valor dos juros por atraso embutidos, pois o site não atualizava. Ou seja, o cliente tinha de imprimir na própria agência a 2ª Via na impressora do banco e, além do valor atualizado, o cliente tinha de pagar mais uma taxa extra pela impressão do papel, tinta e pelo serviço do funcionário de acionar a máquina xerox e localizar os dados no computador.

Acreditem se quiser, isso já aconteceu. Por isso, essa história VERÍFICA precisava ser registradas.

Que bom que hoje o bom senso prevaleceu! O cliente conseguiu pagar a mensalidade de março de 2018 de sua casa e, para o próprio mês, aguarda o boleto já acrescido dos juros da parcela de março paga com atraso.

 

Publicidade