Publicidade

No último dia 15 de maio de 2018 a Prefeitura Municipal de Biguaçu adquiriu R$ 427.440,00 (quatrocentos e vinte e sete, quatrocentos e quarente mil reais) na compra de marmitas. No pregão feito e publicado na internet diz o seguinte: “contratação de empresa especializada no fornecimento de almoços (marmitas) para determinadas secretarias do município de Biguaçu”.

Pelo valor o leitor deve estar se perguntando se o governo Ramon abriu algum almoço comunitário para atender pessoas carentes?

A resposta é não. Esse quase meio milhão de reais (falta um pouco mais de 72 mil reais para atingir essa cifra) é para alimentar a fome de funcionários da prefeitura. Essa fortuna em comida não está especificada para qual secretaria(s) e quantas pessoas serão atendidas durante um ano.

Não se sabe se houve concorrência no pregão realizado e a devida divulgação. Essas marmitas são entregues como? Alguém assina o recebimento? Qual o valor de cada marmita e seu cardápio? Ficam aí os questionamentos.

252 DIAS ÚTEIS

O ano tem 365 dias. Pesquisando rapidamente no google o ano de 2018 terá 252 dias úteis. Se colocarmos o valor de 10 reais cada marmita (hoje se compra facilmente em vários restaurantes e teles-entrega da cidade marmita por esse preço) temos por esse valor de 427 mil reais a compra de 42.744 (quarenta e dois, setecentos e quarenta e quatro) marmitas. São 169 marmitas por dia para alimentar funcionários públicos.

EXEMPLO

Não é de hoje que governos municipais gastam dinheiro para alimentar funcionários, principalmente da secretaria de obras. Um exemplo de redução de custo na aquisição de marmitas foi no governo do ex-prefeito Castelo (PP), antecessor de Ramon, cuja gestão a fome ficou maior.

Não é de hoje que Ramon gasta bastante. Em publicidade, por exemplo, ele já torrou R$ 750 mil. No aniversário da cidade pagou R$ 104 mil para a banda Titãs e R$ 36 mil reais foram dados a uma artista global para fazer um teatrinho na praça com o sugestivo título de “Teatro de Graça”. Pelo jeito, só para inglês ver.

Reforma administrativa divulgada por ele ficou só no papo. Não reduziu cargos comissionados e não tomou nenhuma ação administrativa para diminuir gastos. A prefeitura está inchada, sem rumo e parada no tempo.

Creche não tem o suficiente e até pouco tempo gastava R$ 850 mil por mês para uma entidade tocar a saúde no município.

Se continuar assim, daqui a pouco vão licitar uma empresa para servir cafezinho durante o expediente da prefeitura.

 

Décio Baixo Alves

E-mail: decio@jbfoco.com.br

 

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.

bit.ly/WhatsJBFoco

Publicidade