Publicidade

Os vereadores do MDB de Biguaçu devem abrir uma champanhe essa semana. É que o governador do partido deles, Eduardo Pinho Moreira, vai liberar a verba para que o prefeito Ramon Wollinger abra a martenidade no hospital regional de Biguaçu. Foram muitos anos de luta, mas agora de uma vez por todas, o governo estadual, sensível às reivindicações dos biguaçuenses, vai tornar esse sonho realidade. Enfim Biguaçu terá sua maternidade e nossa cidade terá nascidos efetivamente na terra.

As notícias são boas, mas algo tem que ser planejado: a fiscalização dessa verba que virá todos os meses para a manutenção e funcionamento da maternidade.

 

ROMBO DE 12 MILHÕES

Não é novidade pra ninguém que a saúde de Biguaçu teve um ROMBO de 12 milhões em apenas quatro meses. Essa informação é oficial e da própria prefeitura. A ISEV, instituto que administrava os postos de saúde da cidade e recebia R$ 850 mil todo mês por esse trabalho, foi mandada embora por causa do serviço de porco que fez.

Todo esse dinheiro era pago pela prefeitura todos os meses e a fiscalização praticamente não existia. Agora a gestão Ramon fez outro contrato milionário: vai pagar R$ 766 mil em caráter emergencial para um entidade, que, ao que parece, nem endereço fixo tem, administrar a UPA do município por 90 dias. Como vai ficar essa fiscalização?

 

INCOMPETÊNCIA

Diante de tanta incompetência que se instalou na secretaria de saúde de Biguaçu justificada por esse ROMBO de 12 milhões, é fundamental a comissão de saúde da câmara de vereadores de Biguaçu fiscalizar esse repasse do governo estadual para a maternidade a cada 30 dias. Isso tem que ser feito para não comprometer o funcionamento. Até porque não se pode confiar numa gestão que não teve competência para concluir as obras de um posto de saúde e que perdeu prazo para obter recursos para equipes de agentes comunitários. A saúde tem que ser administrada por responsáveis e não podemos deixar desandar a maternidade de Biguaçu.

 

CONVOCAÇÃO

Gê: será convocada para dar explicação do ROMBO de 12 milhões na saúde.(Foto Arquivo JBFoco)E por falar em saúde, é grande a expectativa na próxima semana com a volta dos vereadores depois do recesso parlamentar.

Os legisladores vão votar um requerimento que convoca a secretária de saúde Genivalda para dar explicações sobre o ROMBO de 12 milhões na saúde. Nos bastidores a popular Gê, como é conhecida a secretária, já anda dizendo que não irá dar explicação para ninguém e que não vai ser intimada por qualquer um que seja para falar sobre esse ROMBO de 12 milhões na sua pasta.

A coluna tentou mas não conseguiu falar com a Gê sobre essa negação em querer dar explicação, mas independente da veracidade desse fato o que tem que ficar claro é que uma funcionária pública tem a obrigação de dar explicação sim. Até por que estamos falando de um ROMBO milionário. Quem não deve não teme.

Os vereadores têm o dever de convocar sim, até porque solicitar esclarecimentos não é condenar antecipadamente ninguém, e o agente público, que trabalha com verbas tem o dever de dar transparências aos seus atos. Se não tem nada de errado, não existe explicação para que a maioria dos vereadores não aprovem um simples requerimento e que o requerido fuja das obrigações de esclarecer. Semana que vêm promete.

PATENTES

Ronnie: secretário da Sol: aluguel de banheiros químicos em quase R$ 1 milhão. (Foto Arquivo JBFoco) 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outro convocado para dar explicação é o secretário Ronnie, da pasta Organização e Lazer de Biguaçu. Sua secretaria foi a responsável em solicitar o aluguel de banheiros químicos por quase R$ 1 milhão. Tem que ter muita gente com necessidade fisiológica nos eventos em Biguaçu que justifique tanta patente para alugar.

Segundo o vereador Nino, a conta não fecha. A coluna também tentou falar com esse secretário, mas, assim como a Gê da saúde, Ronnie também tem aversão à imprensa. O homem não quer falar sobre o assunto.

Só queremos que ele justifique o porquê dessa quantia milionária para alugar banheiros químicos. O requerimento também será apresentado para que o secretário dê explicações. Ronnie conta com o manto protetor da vereadora Salete Cardoso, que é a responsável pela indicação dele nessa pasta pública.

Deslumbra fugir também da obrigação de vir a dar explicação na câmara de vereadores. Cardoso articula a votação dos vereadores para que eles não aceitem esse requerimento. Será? Mais uma vez vale aquele ditado que diz quem não deve não teme. Semana que vem vamos saber se tem algo de podre no reino da Dinamarca.

 

Décio Baixo Alves

E-mail: decio@jbfoco.com.br

AVISO
Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.
bit.ly/WhatsJBFoco

Publicidade