Publicidade

Na manhã de ontem (quinta, 23/08), o Sintramubi (Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Biguaçu) fecharam um acordo com o Tribunal de Justiça dando fim à greve. O retorno ao trabalho após 11 dias de greve ocorreu às 14h da mesma quinta, (23/08).

A direção do sindicato comprometeu-se a pagar a multa de R$ 10 mil em 10 prestações de R$ 1 mil. Antes a multa já tinha ultrapassado R$ 300 mil.

Por outro lado, a prefeitura de Biguaçu comprometeu-se a atender uma das reivindicações do Sintramubi: revisar, de uma vez por todas, o plano de cargos e salários e o estatuto dos servidores municipais no prazo de sete meses. A prefeitura também comprometeu-se a atender a reivindicação de adequar o vale-alimentação para certas especificidades.

ASSÉDIO MORAL, COMO ASSIM?

Dentre as reinvindicações dos servidores municipais, uma delas chamou muita atenção: Criação de políticas contra o assédio moral no trabalho. Conceituado com a “exposição de alguém a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho no exercício de suas funções.”

Como assim? Está havendo situações deste tipo na administração municipal? Em que setores, quais gestores autoritários praticam estes atos que são contra a lei? Alguém sabe dizer qual é a política de Recursos Humanos deste governo? Ou o prefeito pensa que um jantar anual com medalha e show é o que basta?

A Câmara Municipal deveria investigar esse problema de assédio moral imediatamente, através de uma comissão especial. Depois do “carão” que Ramon deu no seu vice Vilson e no secretário Daniel Luz, desautorizando-os publicamente por fecharem acordo com o Sindicato e depois de ter jogado polícia em cima de grevistas, é de se perguntar mesmo de onde vem o mau exemplo?

FINANÇAS MUNICIPAIS E A GREVE

O prefeito Ramon alegava falta de recursos financeiros para atender aos servidores, embora a maior parte da pauta de reinvindicações seja na natureza administrativa o que por si já dá mostras da má vontade do prefeito com os funcionários públicos. Mas ficam as questões não transparentes.

O Secretário de Receita em audiência na Câmara Municipal ao justificar o aumento de 100% do IPTU, declarou que sob sua gestão a arrecadação aumentou como nunca. O Secretário de Administração e Fazenda também em audiência pública mostrou números e gráficos onde a despesa com pessoal estaria em 41%, bem abaixo do limite máximo exigido pela Lei da Responsabilidade Fiscal, que é de 54%, além de declarar superávit de mais de um milhão de reais.

Logo não estaria nas despesas com pessoal o problema. Onde está a falta de recursos?

Todavia, o prefeito mandou esta semana para a Câmara projeto de remanejamento orçamentário para pagamento de salários, tirando recursos de obras e serviços e pôs em licitação a folha de pagamentos para garantir entrada de pelo menos 5 milhões no caixa. Afinal, que gestão financeira é essa?

Quando o prefeito autoriza gastos de publicidade de mais de R$ 800 mil (160 mil nos últimos 40 adias, aonde podem explicar?), ou quando autorizou licitação de milionária de banheiros químicos e mesmo a nada transparente licitação de marmitas, ou a contratação de projeto de engenharia para a macrodrenagem no rio Carolina, que além de ter sua autoria questionada, representante da Auto-Pista declara que já terem aprovado projeto anterior em 2011, dá para entender isso?

E pior, será que a falta de recursos que o prefeito declara não seria devido ao rombo de R$ 12 milhões no fundo de saúde, exposto pelo secretário Daniel Luz também em audiência pública? Afinal, esse buraco de gastos terá de ser pago um dia sob o risco de paralização de serviços de saúde.

Muitos têm alertado faz tempo, inclusive pessoas ligadas ao próprio governo, que na verdade o aumento da arrecadação obtido é transitório, resultado da cobrança de impostos sobre serviços das obras do anel viário.

Se for fato, considerando as gastanças sem critério autorizadas pelo prefeito Ramon, a verdade é que ele pode estar deixando uma herança maldita para seu sucessor e para a cidade daqui a dois anos, pois sua administração parece ser um presente de grego e quem hoje está pagando o pato são os servidores municipais, não vendo atendidas suas solicitações que parecem justas e não exageradas.

 

AVISO
Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.
bit.ly/WhatsJBFoco

Publicidade