Publicidade

O governador Eduardo Pinho Moreira assinou um termo de cooperação entre o Governo do Estado e entidades de comunicação catarinenses para a divulgação de informações do movimento “Juntos pelo Trânsito mais Seguro”, criado pelo Governo do Estado antes do período eleitoral. A ideia é que as informações levantadas não sejam apenas campanhas publicitárias, mas sim materiais de divulgação permanente, para conscientização das pessoas e diminuição dos números. Estiveram presentes representantes da Associação dos Diários do Interior (ADI), Associação dos Jornais do Interior (Adjori) e Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e TV (Acaert).

Por ano, mais de 5,7 mil motociclistas acidentados são atendidos em hospitais catarinenses, ocupando leitos de emergências por grandes períodos. “A pressão é grande, as demandas são intensas e extensas, pois são ferimentos graves de uma maneira geral, que necessitam um período de reabilitação longo, além do uso de próteses que são extremamente caras. Eu acredito que isso pode ser evitado ou diminuído com programas como esse que estamos fazendo, que tem como objetivo interagir com a sociedade para que tenha mais cuidado. Estou certo que esse é o caminho irreversível para termos níveis satisfatórios de acidentes no trânsito”, declara o governador.

Eduardo Pinho Moreira acredita que as crianças são as principais envolvidas na mudança, trazendo atitudes importantes que muitas pessoas não cumprem. “Provavelmente os dados que temos hoje estão assim por falta de informação e falta de cuidado, falta de educação mesmo, no trânsito. A mudança já tem que começar nas escolas. É claro que já houve um processo de melhora e eu percebo isso quando os meus netos entram no carro e são os primeiros a colocar o cinto de segurança. Acredito que as crianças estão vindo mais bem preparadas que os adultos, nós somos os grandes vilões, a próxima geração vai ser mais consciente, com certeza”, comenta Moreira.

Acidentes podem ser evitados com mais informações

O secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira, reforça o apoio das entidades e destaca que mais do que um movimento, esses dados devem ser repassados aos cidadãos como forma de prevenção. Ele também reforça o pedido para que as matérias sejam permanentes. “Esse apoio é fundamental, pois é um movimento prioritariamente editorial. Nós queremos, com esse termo de cooperação, que o Governo do Estado seja o difusor e os veículos de comunicação sejam os ampliadores de informações relacionadas com a preservação de vidas no trânsito”.

O secretário ressalta que hoje Santa Catarina tem um altíssimo índice de escolaridade e excelentes índices de desenvolvimento humano, mas, infelizmente, tem números terríveis no que diz respeito à segurança no trânsito. O que se pretende, com o apoio das entidades e dos veículos de comunicação, é que essas  informações sejam cobertas e difundidas, para que o “cidadão não esqueça nunca que um acidente  de trânsito pode e deve ser evitado”.

Juntos pelo Trânsito mais Seguro

Uma equipe interna da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) analisou dados importantes referentes ao trânsito e constatou que 40% das mortes por acidentes, no país, têm motocicletas envolvidas. Em Santa Catarina 22,9% da frota é composta por motocicletas e 25% da população está habilitada para conduzir. Além de alertar esse público e salvar mais vidas, o movimento foca também alguns pontos relevantes, tais como os valores investidos e o tratamento de acidentados.  Os gastos com acidentes representam até 3% do PIB de um país, além de também ocupar leitos de hospitais que poderiam receber outros pacientes. O movimento foi criado e lançado antes do período eleitoral e agora é assumido editorialmente por veículos de comunicação privados.

(Central de Comunicação-ADI)

AVISO
Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.
bit.ly/WhatsJBFoco

Publicidade