Publicidade

Causou indignação o quanto custa caro bancar a campanha da vereadora Salete Cardoso para deputada estadual pelo PR.

Avaliando o que muitos candidatos ganham do fundo partidário para poder pedir votos nessas eleições, a Salete é uma privilegiada, inclusive com uma assessoria de R$ 133 mil reais pagos pelo contribuinte.

Biguaçu tem uma candidata de campanha quase milionária paga pelos impostos do povo. Vamos torcer que toda essa dinheirama faça dela eleita porque torrar tanto dinheiro para nadar e morrer na praia vai ser dose pra cachorro.

Vamos aguardar  a nova prestação de contas. Será que Salete ganhou mais?

 

INDIGNAÇÃO

A reação das pessoas foi imediata. A senhora Maria Juvenal Costa, do Prado enviou por whats o seguinte comentário: “Não acredito que a campanha da Salete vai ser tão cara. Que negócio é esse de doar 500 mil reais do fundo partidário (dinheiro de nossos impostos) para bancar essa vereadora? Ela é uma legisladora de inúmeros mandatos com salário pago pelo povo de Biguaçu e que tem um trabalho na câmara municipal medíocre. Ainda assim recebe para se candidatar a deputada? Que lei é essa? Quero ver o número de votos da Salete para saber quanto cada um custou”.

CONTA RECHEADA

“Que conta recheada hein Salete! Nunca vi uma pessoa ganhar tanto dinheiro público para pedir votos para uma campanha. Assim até eu! E que negócio é esse de pagar 133 mil reais para uma consultoria? O que foi feito realmente para a sua candidatura que justifique esse valor? O Brasil não tem jeito mesmo. Fundo partidário feito sem critério onde uns ganham muito e outros ganham quase nada. A política é nojenta mesma”.  Salete Vieira Cunha (Centro de Biguaçu).

PODRIDÃO

“O Bolsonaro tem que vir mesmo para acabar com esses privilégios podres. De onde uma país democrático pode financiar a campanha de uma mera vereadora de um município pobre mal administrado com meio milhão de reais? Que vergonha é essa?, Eusébio Mattos Ribeiro (Praia João Rosa).

MAL EXEMPLO

“Que mal exemplo o PR está dando? Duas mulheres desse partido recebem mais 1,2 milhão de reais enquanto as outras mulheres candidatas do partido da república ganham migalhas. Isso que é igualdade feminina? A Salete e o seu chefe, Jorginho Mello, vão dançar”, Patrícia Gomes Albuquerque (Rio Caveiras)

PESQUISA?

“Não entra na minha cabeça aparecer nas contas de despesas da candidata Salete Cardoso uma pagamento de 133 mil reais a empresa NCE Núcleo de Consultoria Empresarial que faz PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA.

Geralmente quem faz pesquisa são candidatos majoritários até porque fazer pesquisa para deputado é jogar dinheiro fora”, Izaldo Mário Leite (Centro de Biguaçu)

REAÇÃO

É! Realmente as pessoas não assimilam tanto dinheiro para bancar campanha de político. A fiscalização tem que ser rigorosa porque nota fiscal para justificar gastos que não foram feitos é uma prática comum. Ninguém aqui está dizendo que algum beneficiado pelo fundo partidário está fazendo isso, mas a justiça eleitoral tem que analisar tudo com muita atenção e cautela.

De certa forma financiamento público para patrocinar campanhas faz com que qualquer pessoa possa almejar um cargo público e ter algum dinheiro para pagar gastos necessários em disputas de pleito.

Mas os critérios da divisão do fundo partidário tem que ser mais justos, democráticos e imparciais para impedir que se use essa verba para lavagem de dinheiro. O que não falta na política é raposa cuidando de galinheiro.

HOSPITAL

Como o hospital de Biguaçu está sendo usado para os filminhos de campanha eleitoral? Gente que não fez nada, absolutamente nada, pela vinda desse hospital tentar faturar politicamente com essa grande obra.

GOZAÇÃO

Biguaçu não perde tempo. Êta gente gozadora! Sabendo que uma vereadora foi patrocinada por 500 mil reais pelo fundo partidário para ser candidata a deputada estadual, uma família do Bom Viver andava pela praça procurando a Salete com contas de luz atrasadas estampando sorrisos atravessados e afirmando que agora já tinha candidato.

IMPRESSÃO

Na visão popular, Lula foi um “excelente” presidente. Na época dele, a gasolina era menos da metade do preço de hoje, havia muito emprego, bolsa família e obras.

A ideia é a de que ele era um grande administrador. Mas, na realidade, não foi nada disso. Entre 2003 a 2008, época do primeiro mandado e metade do segundo de Lula, o mundo estava em expansão econômica forte até que houve o estouro imobiliário dos Estados Unidos, que deixou a economia mundial em expansão.

O bom desempenho econômico do Brasil antes da crise de setembro de 2008 não teve absolutamente nada a ver com atos do governo Lula. Ele apenas surfava na onda favorável.

Mas a população não tem conhecimento básico mínimo para entender economia internacional nem acompanha noticiário mais detalhado (fora da pasteurização dos telejornais).

E assim Lula deixou uma impressão positiva para as massas mais humildes que, na realidade, não corresponde a uma única vírgula.

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.
bit.ly/WhatsJBFoco

Publicidade