Publicidade

A família de Iasmyn Souza, jovem de 20 anos assassinada em Angra dos Reis no último sábado (16/03), abriu uma campanha de arrecadação de fundos no site “Vakinha.com.br” para transladar o corpo do estado do Rio de Janeiro para Biguaçu. A família, que é do bairro Bom Viver, Biguaçu, necessita de R$ 7 mil para o translado. A campanha vai até 22 de março, próxima sexta-feira.

A tragédia aconteceu durante a madrugada. Iasmyn encontrava-se com sua namorada, Juliana Monteiro, 24, na rua Matelândia, no bairro Japuíba, em Angra dos Reis, cidade do litoral sul do Rio de Janeiro, já indo para a divisa com São Paulo.

Elas estavam indo para casa quando um homem de 44 anos as abordou. Naquela noite de sexta (15/03) para sábado (16/03), esse homem, vizinho do casal, tentou “cantar” uma delas, ao que parece Iasmyn, uma jovem de notória beleza.

A moça rechaçou a investida e o homem ficou revoltado pelo fato de ter sido rejeitado em detrimento de uma mulher.

O crime foi premeditado, pois o cidadão, cujo nome não foi divulgado pela polícia, foi em casa, pegou uma faca, saiu e, ao encontrar Iasmyn e sua namorada na rua onde elas moravam, passou a esfaquear a primeira. Na tentativa de salvá-la, a companheira Juliana Monteiro também foi atingida pelas facadas. Ambas não resistiram aos ferimentos e faleceram no local, antes da chegada dos paramédicos.

O assassino fugiu, mas acabou sendo encontrado pelos policiais militares na manhã de sábado (16/03) no acostamento da rodovia RJ-155, conhecida como “Rodovia Saturnino Braga”. Ele estava tentando ir para a cidade de Barra Mansa, também situada no estado do Rio de Janeiro.

Na delegacia, para onde o assassino foi encaminhado, os policiais puxaram sua ficha e descobriram que ele já tinha uma “bronca” muito pesada: tinha um mandado de prisão em aberto expedido pela justiça de Minas Gerais por ter assassinado em Araxá, cidade situada naquele estado.

 

SOLIDARIEDADE

Iasmyn já foi estudante na escola Olga Borgonovo, situada no bairro Bom Viver.

A família pede a colaboração da comunidade para conseguir trazer o corpo dela, que se encontra no IML (Instituto Médico Legal) de Angras dos Reis.

O endereço da campanha pelo translado do corpo de Iasmyn é:

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/enterro-iasmyn-souza?utm_campaign=whatsapp&utm_content=502643&utm_medium=website&utm_source=social-shares

 

Descanse em Paz!

 

PRECONCEITO

 

Facebook colocou um filtro para evitar que mensagens homofóbicas sejam postadas contra as jovens assassinadas por causa da opção sexual. (Foto Reprodução)

 

Solicitamos que os internautas que lerem essa matéria não postem mensagens ofensivas às vítimas só por causa da opção sexual.

O que nos chamou a atenção foi que o Facebook, numa postagem naquele site informando sobre a tragédia de Iasmyn e Juliana, acionou um dispositivo para não permitir que postagens homofóbicas sejam registrada

 

 

Jovem foi assassinada junto com sua namorada. (Foto Redes Sociais)
Moça era de Biguaçu e tinha se formado na Escola Olga Borgonovo. (Foto Redes Sociais)

 

 

Página da campanha para arrecadação de fundos pelo translado do corpo de Iasmyn Souza. (Foto Reprodução)

 

https://chat.whatsapp.com/Lt0gdEGjQiYAvavsWLeuTf

Click no link acima para receber GRATUITAMENTE notícias do Jornal Biguaçu em Foco
Não existe interação no grupo e os links não pesam em seu celular
Boa leitura!

Publicidade