Publicidade

Anderson Erico Cardoso, o Dadam, 22, que matou o tio Jairo Valdir Valdir Francisco com uma facada no pescoço da vítima, foi preso na manhã deste sábado (18/05), ocasião em que ele disse que não se lembrava de nada e que teria sido “possuído”.

Segundo a família, “Dadam”, como era conhecido, sofre de problemas psiquiátricos. Ele tem bipolaridade. Tomava remédios para amenizar a doença.

A família Corrêa é muito unida e costuma sempre promover um churrasco às sextas-feiras e na noite de sexta para sábado (de 17 para 18 de maio) não foi diferente.

O churrasco foi realizado na casa da irmã do empresário, ex-vereador de Biguaçu e tio avô de Anderson. O assassinato de Jairo deixou a família perplexa em todos os sentidos devido ao fato ter sido completamente INESPERADO.

Anderson, ao contrário do que se pode pensar, era um rapaz tranquilo, educado, bom e não tinha desvios de conduta e outros problemas. É verdade que ele sofria de bipolaridade, mas estava sendo tratado por psiquiatra e tomava remédios, o que controlava a doença.

De acordo com a família, Dadam não tinha rivalidade nem brigas com Jairo Francisco, seu tio avô (Nota: Anderson é filho de uma sobrinha de Devanir Corrêa, esta última esposa de Jairo. Este é “tio avô”, mas “emprestado”, como se diz na linguagem popular, pois não tinha laços sanguíneos com Anderson, a não ser com Devanir).

 

A TRAGÉDIA

Era por volta da 1h da madrugada de hoje (sábado, 18/05) quando o churrasco da família Corrêa, que estava sendo realizada na casa de uma irmã de Ademir Corrêa, acabou.

Ao contrário do que foi dito na matéria anterior, baseada num áudio de uma pessoa que “ouviu falar”, não teve nada a ver com Jairo ir reclamar com alguém a respeito de som alto e, por causa disso, ter recebido a facada. Nada a ver.

O que aconteceu foi o seguinte: Jairo saiu com a esposa e filha. Foram para o carro. A esposa e filha embarcaram e Jairo foi colocar algumas garrafas e outros objetos no porta malas.

Estava conversando com o sobrinho neto Anderson quando o inesperado aconteceu, chocando a todos, pois nunca imaginariam que uma coisa dessas poderia acontecer.

Anderson, antes comportando-se normalmente, mudou completamente de temperamento e desferiu um soco no rosto de Jairo.

Como Jairo foi pego completamente de surpresa, desequilibrou-se e caiu em cheio no chão. Anderson “Dadam” puxou uma saca e atacou a vítima desferindo a sucessão de golpes rápidos sempre na região do pescoço.

De acordo com o perito criminal que analisou o corpo de Jairo, pelas marcas das facadas, o policial concluiu que o assassinato encontrava-se num momento de raiva extrema, descontrolada e súbita.

Ao contrário do que foi escrito na primeira matéria, Jairo não ficou agonizando com o pescoço cortado, conforme alegou um áudio de popular enviado ao jornal relatando o que ouviu falar a respeito.

Na realidade, a morte de Jairo foi súbita, pois a vítima desmaiou na hora, a facada foi desferida com extrema raiva e Anderson ficou cortando o pescoço com muita fúria. Em resumo: a morte foi quase que imediata da vítima. O socorro médico nada pode fazer.

 

CHOQUE

O choque foi total. Em primeiro lugar, a família não tinha histórias de rivalidade. Jairo nunca teve rusgas com Anderson, o que poderia ter justificado tamanho ataque subido de raiva. Pelo contrário. Jairo até tinha comentado para a família que estava contente com uma irmã de Ademir Corrêa ajudar Anderson a construir uma loja na qual iria trabalhar e iniciar seu negócio próprio no bairro Bom Viver, nas proximidades do Colégio Tânia Mara.

Em segundo lugar, o choque foi total, completo e o sentimento é como se a terra desaparecesse dos pés. Por que isso? É que ninguém nunca iria imaginar que, literalmente do nada, sem motivo nenhum, em completa insanidade subida, um jovem puxaria uma faca e mataria o tio avô sem a mínima justificativa.

Mas a família acredita que Anderson entrou em surto porque pode ter tomado alguma quantidade de álcool. Como tomava remédios tarja preta para o tratamento da bipolaridade, certamente ele entrou em surto.

 

POSSESSÃO

Como dito no início desta matéria, Anderson foi encontrado pela polícia na manhã de hoje (sábado, 18/05) todo sujo de barro e de sangue (no corte do pescoço do tio avô, houve esguichos de sangue).

Ao ser indagado pelos policiais por que matou o seu tio, Anderson respondeu que não sabia do ocorrido. Duvidou até mesmo de ter cometido a insanidade, mas depois comentou ter sido possuído por entidades malignas ou pelo próprio satanás.

A polícia não deu ouvidos a não ser registrar a fala no auto de prisão e muitos vão considerar essa história um delírio. Aliás, realmente a bipolaridade leva o indivíduo a estágios de lucidez e total delírio.

No entanto, se houver mente aberta, o caso de Anderson e da sua loucura repentina que o levou a cortar o pescoço do tio avô numa fúria inesperada e repentina pode ser pesquisado também no ramo da paranormalidade.

CHOQUE COMPLETO

A mãe de Anderson está completamente chocada. Foi um devastador golpe do destino em sua vida. Jamais imaginaria estar vivendo um pesadelo desses.

Vários membros da família custam a acreditar como de uma hora para outra pode ter ocorrido uma tragédia dessa envergadura e pegando a todos na total surpresa.

O enterro de Jairo está marcado para às 17h de hoje (sábado, 18/05) no cemitério municipal de Biguaçu, no bairro Fundos.

Tio é morto por sobrinho em Biguaçu

Jairo Francisco morreu com facada no pescoço desferida por seu sobrinho neto. (Foto Divulgação)
Casal Jairo Francisco e Devanir Corrêa. (Foto Divulgação)
Jairo Francisco, vítima. (Foto Divulgação)
Anderson Erico Cardos, autor da tragédia. (Foto Divulgação)
Anderson Cardoso, o Dadam, alegou que não se lembra de nada e que fora “possuído”. (Foto Divulgação)

 

https://chat.whatsapp.com/KGHnAVR0IDg76hT4dBMrAX

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade