Publicidade

Os vereadores aprovaram as contas de 2017 do prefeito Ramon Wollinger (PSD) e isso foi de uma velocidade estonteante.

Na segunda (12/08), o presidente da Câmara, Salmir da Silva (MDB), decidiu não colocar em votação as contas em votação. O parecer do Tribunal de Contas era para que estas foram “rejeitadas” alegando uma série de problemas. Salmir queria uma explicação do setor contábil da prefeitura.

Houve pressões de bastidores e essas mesmas contas foram colocadas em votação e aprovadas por unanimidade, apenas com o voto contrário de João Domingos Zimmermann (Nino) (MDB).

No Brasil, é um negócio prá lá de “maluco”. O tribunal de contas analisa a contabilidade e encontra irregularidades. Mas não pode julgar, apenas recomendar a rejeição.

A Câmara de Vereadores tem o poder de aprovar ou rejeitar o parecer. Teve vezes em Biguaçu que as irregularidades eram gritantes, mas os vereadores mesmo assim aprovavam.

Num país decente, o caso é investigado a fundo. Mas aqui no Brasil, muita coisa é colocada para o fundo do tapete, sem maiores esclarecimentos.

E contando com a maioria dos vereadores que fazem parte de sua base de apoio, o prefeito Ramon mais uma vez escapa de ter de prestar mais esclarecimentos e ter sua gestão melhor investigada.

 

JBFoco Online – Quarta-feira (14/08/2019)

 

https://chat.whatsapp.com/CwLeRbK861A1Ks6fButk29

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade