BOM DIA

 

Eliana Bárbara Conti.(Foto Divulgação)

 

Nosso bom dia desta quinta-feira (31/10) vai para à amiga que faz parte da Trupe do Bem Floripa, Eliana Bárbara Conti. Fazem um trabalho maravilhoso junto as instituições que precisam de um pouco de sorriso, carinho e alegria. Hospitais, Asilos, e orfanatos são o foco. Em seu nome amiga, gostaria de parabenizar a todos deste time que levam aos outros paz, e com certeza também saúde. Beijos!

 

VENDAVAL

Desta última terça-feira, deixou um prejuízo muito grande por onde passou. Na grande Florianópolis e Rio Grande do Sul, realmente destruiu muita coisa. É bom ficar alerta.

 

GOVERNADORES

De São Paulo, o Doritus, e o Witzel que está me surpreendendo segundo a revista comunista Veja, negativamente em sua nova parceria com a Globolixo, para denegrir a imagem do nosso Presidente Bolsonaro. Não vão conseguir.

DUPONT

A DuPont Sustainable Solutions (DSS) foi nomeada pela empresa independente de pesquisas ALM Intelligence como a principal firma de consultoria de confiabilidade e produtividade de ativos que cria impacto para clientes nos setores da indústria. O relatório ALM Vanguard de Provedores de Consultoria de Gerenciamento de Desempenho de Ativos de setembro de 2019 avaliou as capabilidades de 30 empresas de gerenciamento de desempenho de ativos com base na capacidade de obtenção de resultados e na habilidade de implantação dessa capacidade em múltiplos cenários de clientes.

“A DuPont Sustainable Solutions agradece pelo reconhecimento ao embarcar em nossa jornada como empresa independente”, disse Davide Vassallo, CEO da DuPont Sustainable Solutions. “Nosso objetivo é proteger pessoas e aprimorar operações. O relatório da ALM Intelligence confirma que nosso trabalho está melhorando o desempenho operacional e produzindo resultados duradouros para os nossos inúmeros clientes em uma variedade de setores da indústria. Agradecemos à ALM Intelligence por esse reconhecimento significativo e agradecemos também a todos os funcionários da DSS globalmente pela dedicação contínua ao fornecimento de valor aos nossos clientes.”

A ALM Intelligence também distinguiu a DSS como a “Melhor” por suas habilidades tanto no desenvolvimento das capabilidades do cliente como na avaliação de necessidades.

Ao descrever o desenvolvimento das capabilidades dos clientes da DSS, a ALM Intelligence observou que “os consultores da DuPont Sustainable Solutions, muitos dos quais gerentes de fábrica, engenheiros e especialistas em segurança veteranos proporcionam aos clientes credibilidade prática inigualável que possibilita uma experiência altamente colaborativa e baseada na confiança ao aproveitar o conhecimento de operações no desenvolvimento e implementação das soluções de práticas melhores personalizadas para o ambiente do cliente”.

Em relação à avaliação de necessidades, a ALM Intelligence elogiou a DSS por ser “única em avaliar comparativamente o que é perfeito ou mais adequado ao cliente. Com projetos ao redor do mundo, inclusive no Oriente Médio e na África, a empresa está altamente sintonizada às diferenças culturais, modificando sua abordagem e personalizando soluções para a maturidade do cliente, a realidade prática e as limitações ambientais”.

“Vimos que a maioria das companhias abordam o gerenciamento do desempenho de ativos como apenas um desafio técnico e que o componente humano é frequentemente negligenciado. Nossa experiência demonstra que ao fortalecer a cultura do gerenciamento do desempenho de ativos de uma empresa e envolvendo a linha de frente, é possível reduzir simultaneamente o risco e aprimorar a confiabilidade”, disse Johan van der Westhuyzen, diretor da DSS para a região do Oriente Médio e África. “Estamos muito satisfeitos por termos sido reconhecidos pela ALM por oferecermos essa perspectiva única aos nossos clientes.”

Sobre a DuPont Sustainable Solutions

A DuPont Sustainable Solutions (DSS) é líder no fornecimento de serviços de consultoria de gerenciamento de operações que possibilitam às organizações proteger seus funcionários e seus ativos, obter produtividade operacional, inovar mais rapidamente e desenvolver a capabilidade da mão de obra. Beneficiando-se da herança da DuPont, seus conhecimentos profundos da indústria e seu processo empresarial, e sua equipe diversa de consultores especializados, a DSS ajuda os clientes a transformar o gerenciamento de operações em uma vantagem competitiva. Para informações adicionais acesse www.consultdss.com.

DuPont, o logotipo oval da DuPont, e certas marcas e marcas de serviços que incluem “DuPont” são de propriedade de afiliadas da DuPont de Nemours, Inc. e licenciados para a DSS por um período limitado.

E

O WARbitro, chegou no Futebol Amador. Eu pergunto quem vai fiscalizar o War, já que o suporte está se demonstrando inútil.

CARRO AUTÔNOMO

Na tecnologia, o carro autônomo se tornou um dos temas mais abordados nos últimos tempos. Cientistas de diversas partes do mundo “correm” para desenvolver os detalhes e infraestrutura para o veículo do futuro, que está cada vez mais próximo. Países como Estados Unidos e Alemanha anunciaram recentemente a criação de automóveis autônomos de nível 4 (se movimenta por conta própria, mas ainda requer intervenção humana) e a China esteja se programando para testar o de nível 5 (100% autônomo) para aplicativos de transporte, diversos questionamentos pairam sobre o funcionamento do carro autônomo na prática.

Além dos investimentos de infraestrutura das vias, do próprio automóvel, segurança de dados e redes móveis com alta velocidade e redundância para transmissão de dados em tempo real – itens que o Brasil ainda precisa evoluir – uma das principais perguntas é como o carro autônomo tomará decisões durante o tráfego.

É fato que os investimentos em Internet of Things (Internet das Coisas) e Inteligência Artificial vem crescendo. De acordo com pesquisa do IDC, os gastos mundiais com IA devem chegar a US$ 35,8 bilhões neste ano, um crescimento de 44% em relação a 2018, com previsão de dobrar até 2022. Já os investimentos em IoT devem atingir US$ 9 bilhões e seguir com 20% de crescimento anual até 2022. Essa tendência engloba e deve impactar a produção do carro 100% autônomo e situações como semáforo vermelho e interação com os demais automóveis certamente poderão ser programadas na inteligência do veículo, mas o tráfego nas grandes cidades é muito mais complexo, contando com uma série de situações inesperadas e a decisão previamente programada nem sempre será a melhor saída. Por exemplo: em uma situação de colisão inevitável entre outro automóvel e um carrinho de supermercado, o que você escolheria? E se ao invés do carrinho de supermercado fosse um carrinho de bebê? E se a decisão for colidir com outro automóvel, como será essa escolha: pelo menor dano causado ao outro ou ao próprio carro? Como o carro autônomo saberá diferenciar esses casos para tomar a melhor e óbvia decisão?

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos. Além disso, é preciso considerar que o raciocínio humano é confuso para os robôs e vice-versa. Adiciona-se a isso a infinidade de situações possíveis e a conta fica difícil de resolver: faixas obstruídas, animais e objetos na pista, ciclistas etc, tudo isso precisa ser identificado em tempo real, assim como a decisão de como agir necessita ser instantâneapara evitar desastres. Como prever todos esses imprevistos e dar ao carro autônomo o comando correto para que ele seja totalmente seguro? Como fazer as perguntas certas para evitar que o aprendizado via machine learning não seja equivocado?

Além da inteligência, também existem as questões jurídicas e éticas. Em casos de acidente, quem será responsabilizado? A empresa que criou o veículo ou proprietário do automóvel? E se ele precisar acelerar a velocidade para desviar de um pedestre na via e também evitar a colisão com outro veículo, ele deve seguir a lei ou preservar vidas? Considere-se também que o automóvel necessita de câmeras, tanto na via quanto em sua estrutura para funcionar de forma segura. Como fica a privacidade dos dados nesta situação?

São muitas perguntas para poucas respostas e é crucial que a ciência e a sociedade façam todas elas antes que o carro 100% autônomo se torne realidade. É possível que a tecnologia avance a ponto de termos robôs capazes de interpretar situações tais quais os humanos, mas, enquanto isso não acontece, é ideal que automóveis com este nível de autonomia circulem apenas em vias próximas, para a segurança de todos e o bem-estar do desenvolvimento tecnológico.

Sobre Rogério Borili

Rogério Borili é vice-presidente de tecnologia da Becomex. Engenheiro da Computação, é responsável por desenvolver soluções que criaram processos inovadores na área tributária e por ampliar o mercado da Becomex, com o objetivo de oferecer às empresas as mais modernas práticas tributárias, reforçando a posição como uma das melhores e mais completas empresas de consultorias tributárias atuantes no país.

Há mais de 20 anos no mercado, Rogério Borili usa sua experiência junto à área tributária e de comércio exterior das maiores corporações atuantes no país para implementar soluções inteligentes e seguras que melhoram a competitividade e geram resultados surpreendentes e sustentáveis.

Antes de fundar com seus sócios a Becomex, Borili atuou como consultor em diversos grupos empresariais, como AGCO, COSAN, DuPont, Villares e Sadia.

 

CONHECIMENTO JURÍDICO

 

Por Ivan Pires Junior*

Você já parou pra pensar sobre a quantidade de informações que recebemos diariamente? Uma quantidade de canais abertos, conexões, networking, ferramentas, e-mails, planilhas, sistemas que se deixarmos ocupam 24 horas de nossas vidas e que muitas vezes nos deixam longe dos resultados, sejam eles profissionais ou pessoais. Estamos atravessando a era do conhecimento, onde a informação de boa qualidade se torna parte fundamental na busca de bons resultados e da nossa qualidade de vida.

E essa realidade também chegou ao setor jurídico. Podemos chamá-la de a Era do Conhecimento Jurídico, onde é preciso rever processos a ponto de reinventar as melhores práticas profissionais e questionar modelos ultrapassados de gestão da informação. Para que isso aconteça, podemos considerar três grandes dimensões: a infraestrutura da organização, o perfil das pessoas que a compõem e a tecnologia utilizada.

O trabalho consiste em: flexibilizar e horizontalizar a estrutura organizacional; mudar o perfil das pessoas, especialmente dos líderes e gestores; e utilizar as TIC – Tecnologias da Informação e Comunicação; tornando essas três dimensões mais flexíveis e inovadoras, propiciando a aquisição, criação, compartilhamento, utilização e armazenamento do conhecimento.

No universo da gestão jurídica corporativa, podemos começar repensando algumas atividades que podem estar mascarando bons resultados. A primeira delas está relacionada aos processos judiciais. Sua empresa tem dedicado tempo na condução de acordos judiciais no intuito de encerrar os processos ou tem adotado a teoria do tempo?

Outra questão é sobre o sistema. A tecnologia usada no dia a dia compartilha informações em tempo real para tomada de decisões, correções de rota e até mesmo gerencia meus escritórios terceirizados de forma inteligente?

A administração de despesas também precisa ser repensada (honorários, processos, multas, etc), para que processos que envolvem a previsão dos gastos sejam automatizados e não necessitem de interferência humana. Com o uso de métricas de gestão do risco jurídico é possível, por exemplo, tomar decisões embasadas, sólidas e que possibilitem uma melhor estratégia de prevenção jurídica.

A falta de um sistema jurídico para gestão leva muitas empresas a erros nos gastos e estimativas para os pagamentos de processos que ocasiona uma elevação dos custos. Neste sentido, é importante uma estratégia definida para o contencioso de massa e não apenas nos processos críticos.

Como se pode ver, existem muitas formas de transformarmos informações em conhecimento. Atualmente, partimos da desconstrução dos sistemas passivos para a construção de sistemas ativos, com inteligência artificial para juntar dados passados com futuros e apontar mudanças que poderão fazer toda a diferença para a companhia. Imagina um advogado podendo fazer cruzamentos científicos da entrada de processos por região e estabelecer um controle preventivo na contenção de novos processos?

Isso já é realidade em diversas corporações que investem em sistemas eficientes, que possibilitam ter acesso via mobile à aplicativos que facilitam a auto gestão. Acredito que o primeiro passo para essa mudança é admitir que precisamos mudar, ter a humildade de rever conceitos, paradigmas e modelos mentais, tendo como premissa a prática de “desaprender e aprender a aprender”.

 

Há quem enxergue este momento como uma ameaça e outros que o veem como uma oportunidade. Por isso, saiba escolher e montar um time para que todos trabalhem para atingir os objetivos profissionais da empresa, de acordo com regras de pagamentos e Compliance com seus escritórios externos. Tenha em mente que é preciso optar por uma solução tecnológica que sustente esta mudança, deixando para trás velhos hábitos.

Por fim, dedique um tempo na leitura de artigos, fóruns, se relacione com os canais e fornecedores no mercado para aumentar sua bagagem no assunto. Abandone de vez os processos horizontais cartesianos, aqueles que não agregam valor ao seu negócio e à companhia.

Não tem mais volta, este processo é irreversível, por isso, abrace a Era do Conhecimento Jurídico e faça a diferença!

*Ivan Pires Junior é diretor de Mercado para o setor Jurídico da Benner.

 

SE

 

Perguntar não ofende; onde andam Francisco Batistotti, o Galego e cia… Se estivessem bem na tabela provavelmente a dupla avaiana não ia querer sair da tela. Aliás quando falat 7 jogos para acabar o campeonato, o time do sul da ilha vai ter que ganhar 10 para sair do Z4.

DICA

Lembrem-se que o mês de outubro acaba hoje, mas os exames para prevenção do câncer de mama, continuam.

FRASE

” Mulher perfeita é aquela, que sorri como menina. Seduz como mulher. Se dá o respeito como uma dama.” De alguém.

$TF

Está querendo soltar de qualquer maneira o bandido do ex presidente Lula, colocar a população na rua e o Exército no poder. Deu rima e eu estou torcendo para ver $TF e Congresso Bandidal lacrado.

 

LEITURA

1Q84 – Haruki Murakami-  “Tóquio, 1984. Aomame, uma mulher que esconde sua profissão de assassina, é enviada para matar um homem numa missão que mudará drasticamente sua vida. Em paralelo, Tengo, professor de matemática e aspirante a escritor, se envolve em um misterioso projeto de reescrever o romance Crisálida de ar, composto por uma menina de 17 anos. De forma alternada, as duas narrativas convergem, e aos poucos o leitor descobre o verdadeiro elo entre elas.”

ABRAÇOS

Coluna Opinião Formada – Walter Lemos Filho – E-mail: walterlemos1961@gmail.com.

 

Jornais em Foco – Quarta-feira (30/10/2019)

 

https://chat.whatsapp.com/invite/Lt0gdEGjQiYAvavsWLeuTf

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.