Com todo o respeito com os demais clubes de Biguaçu, mas o Biguá, time do bairro Praia João Rosa fundado em 1967, tornou-se, 52 anos depois, o clube de futebol amador mais popular de Biguaçu.

Não há pesquisas, mas poderia ser feita uma para saber qual o time de futebol amador com a maior torcida em Biguaçu. Se for pela presença de torcedores e animação, a olhos vistos tudo indica que se trata mesmo do Biguá, sem possibilidade de erro.

Por que estamos falando do Biguá?

Feliz é o município que tem um clube disputando a 1ª ou 2ª divisão do futebol profissional.

Não estamos defendendo a ideia de que é preciso investir dinheiro público num clube particular, mas defendemos que é preciso fazer alguma pesquisa para saber qual o clube com maior torcida, qual é o que pode virar profissional, o que é preciso nas suas sedes (arquibancadas etc), enfim, ajudar os clubes a crescerem e se tornarem mais sólidos financeiramente. Se houver esforços e se Biguaçu tivesse um clube disputando a 1ª ou 2ª divisão do futebol profissional, certamente o nome da cidade seria bem mais divulgados. Como assim?

Só o fato de todo dia a imprensa esportiva informar sobre os clubes, certamente o nome Biguaçu será veiculado ad nauseam e, aos poucos, dará a impressão de que se trata de uma importante cidade. Não que não seja, mas se for divulgada todo santo dia, a impressão vai consolidar-se.

Cidades que estão sempre na “boca” dos cronistas esportivos podem atrair empresas, investimentos e dá a impressão (verdadeira, é claro) de seu dinamismo e crescimento.

Não ofendendo ninguém, mas alguém já ouviu falar em “Luzerna”, “São João do Oeste” ou “Vargeão”?

Não é ofensa, mas talvez haja catarinenses que poderão pensar que esses municípios ficam no Mato Grosso, Rio Grande do Sul ou em algum lugar do planeta, pois os desconhecem completamente.

Mas se Luzerna, São João do Oeste e Vargeão tivessem um clube de futebol disputando as divisões de futebol profissional, certamente não estariam tanto assim no anonimato tão completo.

Futebol também é economia, um chamariz para as cidades que são sedes de clubes.

Repetindo: com todo o respeito aos clubes de Biguaçu, mas o Biguá está num patamar maior. Com as devidas proporções, já é o “Flamengo” municipal, independente se foi ou não o campeão do ano, mas dos outros tem uma longa “rastreabilidade” de títulos. O Biguá não é um “biguazinho”, mas um “Biguazão” com imenso potencial.

Temos de olhar o Biguá com outros olhos. Se houver pesquisa, trabalho, detecção de oportunidades, marketing e outras medidas profissionais, o Biguá vai poder alçar voos maiores e, com ele, vai Biguaçu.

Pensem na ideia. Talvez não seja tão “louca” assim. “Louco” é quem pensa que tudo é impossível.

 

Ozias Alves Jr (Editor)

E-mail: reportagemjbfoco@gmail.com.

 

 

Jornais em Foco – Quarta-feira (30/10/2019)

 

https://chat.whatsapp.com/invite/Lt0gdEGjQiYAvavsWLeuTf

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.