Publicidade

Na última sexta-feira (15/11), feriado da Proclamação da República, Governador Celso Ramos arrecadou R$ 17.930,00, ou seja, faltaram apenas R$ 70,00 (setenta reais) para completar R$ 18 mil. Foi o primeiro dia de cobrança da TPA (Taxia de Proteção Ambiental). Para comparar: no mesmo dia, Bombinhas arrecadou R$ 23 mil.

Desde que foi anunciada, a TPA vem provocando polêmica, principalmente em Biguaçu, onde justamente mora grande número de frequentadores das praias de Governador Celso Ramos. Aliás, os biguaçuenses foram os maiores afetados pela medida, pois as praias mais próximas de Biguaçu são as de Governador Celso Ramos. Não há como frequentar as de Florianópolis. Os intensos engarrafamentos que o digam!

Independente de quem foi ou não prejudicado, Governador Celso Ramos está no seu direito de cobrar uma taxa dos turistas, tal como outras cidades turísticas do Brasil assim o fazem, sem dizer que Bombinhas já faz o mesmo.

O foco agora não é estar reclamando de que Governador Celso Ramos está cobrando um “pedágio” para entrar naquele município. O foco é, depois de abril do ano que vem, quando a cobrança da taxa for suspensa temporariamente, cobrar que a arrecadação até lá seja usada para iniciar a construção da PRIMEIRA estação PÚBLICA de tratamento de esgoto.

A TPA veio para isso: custear saneamento básico. Governador Celso Ramos não tem tratamento de esgoto. Com o dinheiro da TPA, é possível iniciar essa importante obra.

Não acreditamos que a TPA da temporada 2019-2020 seja suficiente para instalar todas as estações para tratar 100% do esgoto doméstico de todo o município de Governador Celso Ramos.

Mas ao longo dos próximos anos, aos poucos, as estações poderão ser instaladas e, em uma década, certamente, se der tudo certo, o município estará 100% saneado, o que é muito bom.

 

ACORDO QUE NÃO PROSPEROU

O prefeito de Governador Celso Ramos, Juliano Duarte Campos, que provocou polêmica ao dizer que São José e Biguaçu instalaram estacionamento pago (Zona Azul) e não consultaram os gancheiros) e, por isso, Governador Celso Ramos não tem qualquer compromisso em dar isenção àqueles cidades na questão da TPA (o que é verdade), tentou um acordo: que seu município fosse isento do pagamento do depósito do lixo daquela cidade no aterro sanitário de Estiva, norte de Biguaçu.

Vale lembrar que a prefeitura de Governador Celso Ramos gasta em torno de R$ 1,5 milhão para que o lixo dessa cidade seja enterrado no aterro sanitário da empresa Proactiva, em Biguaçu.

Não prosperou o acordo. Os moradores de Biguaçu terão de pagar TPA.

 

DINAMARCA

Telefonar nestes tempos de planos ilimitados de celular não custa (o olho da cara). Deixo a seguinte sugestão de PESQUISA ao prefeito Juliano. É a seguinte.

A Dinamarca é um país que produz 100% de sua energia elétrica através do lixo. Sim, a Dinamarca, cujo território é a METADE de Santa Catarina (isso mesmo, a metade), não tem uma Itaipu. Para ter energia elétrica, precisa produzir de fontes alternativas, no caso, do lixo.

Por que o prefeito Juliano não entra em contato com a Embaixada da Dinamarca em busca de informações a respeito da energia elétrica produzida por lixo? Por que não constitui uma equipe de trabalho para pesquisar o que existe sobre esse assunto aqui no Brasil?

Vamos deixar bem claro: é uma pesquisa. Não estamos dizendo que esse projeto é o ou viável. Não sabemos sobre seus custos. Mas pesquisar não custa.

A questão é simples: e se for possível atrair alguma empresa que produza energia elétrica com lixo para Governador Celso Ramos?

E ao invés de pagar R$ 1,5 milhão para que o lixo de Governador Celso Ramos seja enterrado em Biguaçu, esse material poderia ir para a geração de energia elétrica local e, num acordo com a empresa que porventura viesse a instalar-se em terras gancheiras, forneceria e cobraria energia mais barata dos gancheiros.

Governador Celso Ramos mataria dois coelhos numa “eletrocutada” só: pararia de gastar R$ 1,5 milhão para ter onde deixar enterrado seu lixo e abriria uma oportunidade de desenvolvimento à sua própria região.

Governador Celso Ramos poderia até virar a “Capital Catarinense do Lixo”. Poderia até mesmo anunciar: “mande seu lixo para cá GRATUITAMENTE”.

Por quê? Quanto mais lixo, mais energia e se Governador Celso Ramos conseguir descontos tornando sua energia mais barata, muitas empresas poderão ser atraídas para aquele município.

Quer dizer, seria um “Gol de Placa” de Pelé, com direito à “Mão Santa” do Maradona, em escala industrial!

Mas vamos deixar bem claro: não sabemos se isso é viável. Pode ser um “delírio”, sonho demais.

O que é “viável” é fazer uma pesquisa, contatar, perguntar, verificar legislação. Por que não consultar a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) sobre o assunto? Nunca se sabe se numa pesquisa dessas pode-se encontrar soluções extraordinárias antes nunca imaginadas.

A proposta é, repito, esta: pesquisar! O que custa pesquisar????

Governador Celso Ramos vive da pesca e do turismo. Mas ainda não tem todos os empregos que precisa para fornecer trabalho e renda a todos seus moradores. Governador Celso Ramos precisa encontrar mais ideias para seu desenvolvimento.

A TPA foi uma ideia simples, prática e, quer queira, quer não, independente das críticas, boa para viabilizar obras de saneamento que aquele município tanto necessita.

Agora é avançar em busca de boas ideias.

Espero ter contribuído para o debate.

 

Ozias Alves Jr (Editor)

E-mail: reportagemjbfoco@gmail.com.

 

Tabela da cobrança de TPA em Governador Celso Ramos. (Foto Divulgação)

 

https://chat.whatsapp.com/invite/Lt0gdEGjQiYAvavsWLeuTf

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade