Publicidade

O JBFoco circula há 26 anos e em toda época de réveillon (final de dezembro e início de janeiro) “pipocam” as reclamações com relação à falta d´água tanto em Biguaçu quanto em Governador Celso Ramos.

Em Biguaçu, deve-se ao fato de que já é cidade bem povoada e a Casan (é fato público e notório) não tem condições de garantir abastecimento regular para todos seus clientes. Vale lembrar que a água da Casan vem do reservatório de Pilões, entre Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz, e é essa a fonte através da qual a companhia faz o abastecimento de Palhoça, São José, Florianópolis, Biguaçu e outras cidades. É muita gente para quase uma única fonte.

Já em Governador Celso Ramos, o problema é muito simples: a cidade quadruplica de população durante a temporada de verão. Aquele município é abastecido por uma dezena de nascentes que brotam nos morros locais. Cada localidade é abastecida por um desses reservatórios.

Governador Celso Ramos tem por volta de 13 mil habitantes. Esses reservatórios mal dão para a demanda local. Agora imagine aquela cidade receber quatro vezes mais moradores, como é o caso da temporada de verão. O abastecimento entra em colapso.

Aliás, no presente momento, tem turistas reclamando da falta d´água na região de Palmas, justamente a praia que mais recebe visitantes.

A questão é: como resolver esse problema? Aliás, não é fácil. Governador Celso Ramos depende única e exclusivamente de seus reservatórios locais. Na realidade, pelo menos na época da temporada, era para esse município tentar conseguir um “reforço” com água trazida pela Casan.

Mas isso é um “delírio”. A razão é simples. A Casan não consegue abastecer direito Biguaçu e as praias do norte de Florianópolis. Como é que poderia ajudar Governador Celso Ramos?

 

TPA

Desde 15 de novembro deste ano de 2019 que está encerrando-se, Governador Celso Ramos cobra a TPA (Taxa de Proteção Ambiental).

Essa taxa vem sendo criticada, o que não poderia deixar de ser e nas redes sociais há quem malha a prefeitura de Governador Celso Ramos por estar cobrando TPA se há problemas de abastecimento.

É verdade. Mas tem um detalhe: e se Governador Celso Ramos não cobrasse a TPA, também não estaria sofrendo com problemas de abastecimento?

Em abril de 2020, quando a primeira temporada com TPA for encerrada, que a prefeitura de Governador Celso Ramos invista na instalação de centrais de tratamento de esgoto.

O motivo é simples: todos os recursos hídricos precisam ser utilizados para o abastecimento local. Governador Celso Ramos não tem outra fonte de água a não ser seus próprios reservatórios nos seus morros.

Naquele município, há riachos que infelizmente estão poluídos, mas, se houvesse tratamento de esgoto, poderiam perfeitamente estar sendo utilizados para “reforçar” o abastecimento.

Que os moradores de Governador Celso Ramos fiscalizem e pressionem para que a primeira TPA seja investida em tratamento de esgoto, que se faz urgente urgentíssimo, para ontem, artigo de primeira necessidade.

 

 

Jornais em Foco – Terça-feira (24/12/2019) – Especial Natal

Publicidade