Publicidade

Por volta da uma hora da madrugada de domingo último (08/12), uma loja do Centro Comercial Cíntia, popular “galeria do Célio Dentista), na rua Lúcio Born, em frente à lateral do fórum de Biguaçu, foi arrombada por um casal de bandidos que chegaram no local numa moto, segundo informação que a dona da loja saqueada recebeu de alguém que disse ter visto o dito casal fugir após o delito. Levaram notebook, tênis, bolsas, relógios e outras mercadorias, principalmente jeans.

No mesmo fim de semana, houve outro caso de arrombamento de loja no centro de Biguaçu, conforme noticiado aqui no JBFoco.

Mas o roubo da loja da rua Lúcio Born tem um detalhe importante: no início da rua onde ocorreu o arrombamento de uma loja que está funcionando há apenas três meses, há uma câmera de vigilância.

Sim, tem uma câmera de vigilância com visão mais que panorâmica da rua Lúcio Born, por onde os bandidos entraram para realizar o arrombamento.

Comerciantes da região contam que a dita câmera multa os caminhões de entrega, que precisam parar naquela via para descarregar mercadorias.

No entanto, essa câmera não tem coibido os arrombamentos na região. Segundo a vítima do arrombamento, que preferiu não se identificar com medo do retorno dos bandidos (nesse clima de insegurança, a pessoa realmente tem razão em acreditar nisso), algumas lojas e uma imobiliária dessa mesma região também receberam a “visita” dos ladrões, sempre de madrugada. Bandidos tentaram também arrombar um restaurante que funciona quase ao lado do fundos do fórum de Biguaçu.

Do outro lado da quadra, fica a rua Getúlio Vargas, que é a segunda entrada para o centro de Biguaçu. Não é preciso relembrar que várias lojas do local também foram arrombadas e recentemente até houve um assalto a mão armada à luz do dia.

E na esquina da praça Nereu Ramos com o final da rua Getúlio Vargas, há uma câmera de vigilância.

Perguntar não ofende: quem está operando essas câmeras? A prefeitura de Biguaçu ou a Polícia Militar?

Se não estivermos enganados, a prefeitura de Biguaçu instalou, dentro de suas dependências, uma espécie de central de monitoramento. Pelo que sabemos, se ninguém provar o contrário, são funcionários contratados pela prefeitura para fazer a vigilância. Aliás, quando essa vigilância foi inaugurada, a assessoria de imprensa da prefeitura de Biguaçu fez uma matéria laudatória sobre essa grande “novidade” de combate ao crime na cidade.

Voltemos ao caso do arrombamento da rua Lúcio Born à uma hora da madrugada do último domingo (08/12). Repetindo: perguntar não ofende, mas havia algum vigilante que “acompanhou” o casal chegando de moto, parando em frente à loja e arrombando-a?

Por mais que tenha sido rápida a ação, o vigilante não poderia ter acionado a PM para pegar o dito casal? Pelo menos, não poderia ter pego a placa da moto? Ou será que naquele exato momento, não havia vigilante, ou seja, as câmeras só funcionam em “horário comercial” de segunda a sexta?

Se isso não for exagero, assim não dá. O que adianta câmeras sem vigilantes? Os bandidos geralmente atacam de noite. Ora, por questão lógica, as câmeras têm de estar “alertas” justamente nas noites e madrugadas. Se assim não for, não tem sentido algum manter câmeras a não ser por pura decoração.

Só falta agora os bandidos roubarem as próprias câmeras de vigilância (que, pelo jeito, estão desligadas de madrugada) e, se quiserem, podem tentar arrombar o próprio fórum de Biguaçu.

Em suma: a prefeitura de Biguaçu não consegue sequer manter funcionando normalmente as câmeras de vigilância, que é o “mínimo do mínimo do mínimo” de uma polícia pública de segurança. O que dirá as políticas mais complexas de segurança.

Haja incompetência!!!

 

POST SCRIPTUM: Não culpo a Polícia Militar (PM). Em hipótese alguma. A PM faz seu serviços. Os policiais fazem seu serviço perfeitamente. Sabem quem é bandido e quem não é.

O problema está na lei. É tanta brecha que não é fora do comum bandidos perigosos estarem soltos rapidamente.

 

 

Ozias Alves Jr (Editor)

E-mail: reportagemjbfoco@gmail.com

 

Jornais em Foco – Terça-feira (10/12/2019)

Publicidade