Publicidade

Caros (as) leitores (as), o colunista e jornalista Fernando Henrique da Silveira, na edição de hoje, irá apresentar um pouco do trabalho e da formação da Administradora da Biblioteca Pública de Santa Catarina, Srª Cleonisse Inês Schmitt (CRB 14/733).

Formada pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, no curso de Biblioteconomia, desde agosto de 2000, foi pesquisadora, bolsista CNPq nas Bases de Dados do Instituto Brasileiro de Ciências e Técnologias (IBCT), na Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FUNCITEC), hoje FIESC e estagiária nessa universidade, no Departamento de Engenharia de Produção, no Laboratório do Núcleo de Estudos em Inteligência, Gestão e Tecnologias para Inovação (IGTI).

Estagiou em várias Bibliotecas como a Biblioteca Pública de Florianópolis – Barreiros Filho, Biblioteca Central do SESC – Florianópolis. Depois de formada começou seus trabalhos coordenando a Biblioteca da Faculdade CESETH em Florianópolis, onde supervisionou estudantes de biblioteconomia que faziam estágio obrigatório.

Foi Chefe da Biblioteca Pública Municipal da cidade de Blumenau onde coordenou vários projetos junto com a Fundação Cultural da cidade.

Trabalhou no projeto Roteiros Nacionais de Imigração do IPHAN e na assessoria dos Arquivos Documentais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN.

Trabalhou na Biblioteca do Colégio Educar, na cidade de Biguaçu, e junto com os professores montaram e realizaram projetos e atividades de incentivo a leitura.

Trabalhou no Museu Nacional do Mar – Embarcações Brasileiras, entre abr/2006 a dez/2017, onde coordenou e executou atividades da Biblioteca Especializada em Patrimônio Naval, hoje com mais de cinco mil livros catalogados e mais de mil livros digitalizados e disponíveis no Portal Barcos do Brasil, e coordenou vários projetos do Programa de Extensão Comunitária do Museu, como: “Música no Museu do Mar”, “Proseando com Marinheiro”, Festival Literário – “Mar de Livros” (Lei Rouanet); “Reedição de Obras Raras da Biblioteca Kelvin Duarte” (aprovado pela Lei de Incentivo Estadual), o Sarau Literomusical do MNM (mais de 80 edições), Educação Museal (teatro e oficinas), Cine clube Babitonga, Liceu de Artes em Modelismo Naval (PRONAC, de 2012 a 2017 responsável pelos convênios da Associação Amigos do Museu (mantenedora) com (IPHAN, IFSC, UFSC, UDESC e Empresas Privadas da região). Em 2016 e 2017 fez a supervisão e acompanhamento na digitalização do acervo raro (bibliográfico, documental e iconográfico) – Projeto: Portal Barcos do Brasil.

Domina as tecnologias de várias bases de dados, bem como os softwares livres como o DSbase, para acervos digitais, tenho experiência na implantação de repositórios
digitais (RDs). Participou de dois seminários internacionais de Arquivo de Museus e Pesquisa Tecnologia, informação que acontecem geralmente em novembro promovidos pelo Grupo de Trabalho Arquivos de Museus e Pesquisa – Bienal de São Paulo, Centro Cultural São Paulo (Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo), Cinemateca Brasileira (Ministério da Cultura), Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo (IEB USP), Museu Afro Brasil (Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo), Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC USP), Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP), Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), Museu Lasar Segall (Instituto Brasileiro de Museus, IBRAM – Ministério da Cultura), Museu Paulista da Universidade de São Paulo (MP USP), Pinacoteca do Estado de São Paulo (Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo  e Sistema Estadual de Museus (SISEM – Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo).

Realizou o levantamento bibliográfico / documental e catalogação do acervo do Arquiteto Alemão Hans Broos na sequência publicado um livro em 2018.

Voltando para Florianópolis trabalhou de fevereiro de 2018 até fevereiro de 2019 como bibliotecária na Aero TD Faculdade de Tecnologia em Avião Civil e de fevereiro de 2019 até o momento na Biblioteca Pública de Santa Catarina (BPSC).       
Trabalhou com instituições e com profissionais que permitiram minha qualificação, e a experiência de quase vinte anos nesta profissão que contribuíram de forma expressiva para a sua formação, aprimorando aptidões como a de resolver problemas, de trazer soluções inovadoras, de lidar com pessoas, trabalhos em equipe, de cumprir prazos, de construir, formatar, gerenciar, realizar, coordenar e prestar contas de projetos e convênios, promover e realizar eventos, ações e atividades de incentivo a leitura e a cultura.

No último sábado foi à entrevistada do counista em seu Programa “Biguaçu em Revista”, aos sábados de manhã (09:00hs – 10:00hs), na Radio Biguaçu FM 98,3.

 

Jornalista Fernando Henrique da Silveira e a Administradora da Biblioteca Pública, Cleonisse Inês Schmitt (Foto Divulgação)

(*) Fernando Henrique da Silveira é Jornalista (MIT nº 6646/SC), Funcionário Público Estadual a mais de 24 anos, ocupa a cadeira nº 21 da Academia de Letras de Biguaçu, Conselheiro Titular do Conselho Estadual de Entorpecentes – CONEN/SC, Advogado, Conselheiro Titular da OAB/SC – Subseção de Biguaçu, Doutor em Ciências Jurídicas e Sociais, Vice-Presidente da Comissão de Moralidade Pública da OAB/SC – Subseção de Biguaçu, indicado da OAB/SC – Subseção de Biguaçu para compor o Conselho Municipal Antidrogas de Biguaçu. Colunista diário do Jornais em Foco (Jornal Biguaçu em Foco). Apresentador do Programa semanal “Biguaçu em Revista”, na Rádio Biguaçu FM 98.3.

 

e-mail: fernandohsilveira@hotmail.com

 

Contatos: 48-984578842 (WhatsApp) e 48-999953848.

 

Jornais em Foco – Terça-feira (10/12/2019)

Publicidade