Publicidade

Raimundo Colombo, ex-governador, foi citado no relatório por prevaricação e condescendência criminosa

 

Na apresentação do relatório final da CPI da ponte Hercílio Luz, o relator, deputado Bruno Souza (Novo), denunciou o nome de 26 pessoas entre políticos, funcionários públicos, empresários e pessoas  jurídicas. Foi constatado que o Estado contratou, ao menos, o equivalente a R$ 1.027.282.937,27 atualizados em contratos referentes às obras do maior símbolo turístico dos catarinenses desde 1980, sendo que R$ 688.469.256,65 foram efetivamente comprometidos.

A comissão chegou ao relatório final com mais de 1,8 mil páginas após oito meses de trabalho e a análise de 26 instrumentos com 85 volumes e 18.182 páginas e mais de 40 pessoas ouvidas, 38 testemunhas e dois convidados. Um rol de crimes foi identificado, como fraude à licitação, falsidade ideológica, falsificação de documentos públicos, utilização de documentos falsos, dispensa indevida de licitação e prevaricação.

Mais detalhes sobre o caso que desafiava a mais elementar inteligência, no link abaixo:

 

Bastou fazer uma CPI para descobrir os rolos da Ponte Hercílio Luz

 

Jornais em Foco – Segunda-feira (02/12/2019)

 

 

 

Publicidade