Publicidade

Walter Lemos Filho

E-mail: walterlemos1961@gmail.com

 

BOM DIA

 

Eve Queiroz. (Foto Divulgação)

 

Meu bom dia desta terça-feira, vai para a terapeuta especialista em Constelação Familiar, Eve Queiroz. Esta frase de  Bert Hellinger , define o trabalho da profissional:  “Estamos mudados na medida em que entramos em sintonia com a alma, com os movimentos profundos da alma.” Admiro, e faço minha reverência a pessoas que se preocupam com o desenvolvimento de seus semelhantes. Deixo aqui meu desejo de sucesso sempre na sua vida. Beijos! Agende sua consulta pelo fone, what’s: (48) 99901-9136.

 

FIGUEIRENSE

Mandou bem contra o Tubarão. Criciúma, recebeu a virada e o JEC também. Brusque se recuperou e  Chape continua nos empates.

ESQUERDOPATAS

Estão indignados, com a ncriação de 644 mil novos empregos no Brasil em 2019. Nosso estado fechou o ano com o melhor resultado desde 2010.

DOM PARKING

Deu calote nos colaboradores. Gostaria de saber quem foram os responsáveis pela escolha licitatória desta empresa?

CORRETOR PARA CONSUMIDOR 3.0

Renato Orfaly

 

O corretor não é mais o detentor da informação e precisa se atualizar se quiser manter seu espaço no mercado nos próximos anos. O papel do corretor da velha guarda – aquele que acumula uma carteira gigantesca de clientes, ou que empurra goela abaixo o imóvel com a maior comissão – está em rápido declínio.

Antigamente, o corretor era o “gatekeeper” de todos os imóveis disponíveis para compra ou locação. Mas, com a internet, tudo mudou. Não existe imóvel que não esteja na web, os corretores e imobiliárias não são mais os detentores de toda a informação.

Apesar da internet como conhecemos hoje existir há quase 30 anos, as funções, postura e comportamento dos corretores de imóveis pouco mudaram.

A mera demonstração do imóvel pode ser realizada por qualquer um – desde o proprietário até o porteiro do prédio. E, muitas vezes, o interessado chega ao imóvel sabendo mais do que o próprio corretor – por ter visto fotos, ter pesquisado a região e até outros imóveis no mesmo prédio, para conhecer a média de valores.

Os desafios da área se amplificam em se tratando do atendimento recebido por interessados e proprietários. Na página do Reclame Aqui do Creci-SP, por exemplo, as principais reclamações de quem compra ou aluga imóveis entram nas categorias de cobrança indevida, atendimento ruim, comportamento inadequado de profissionais e funcionários despreparados.

As reclamações evidenciam a necessidade dos corretores de se atualizarem não só em conceitos de Marketing Digital, para se destacarem entre os demais profissionais e aprender técnicas que valorizem os produtos, mas também de gestão de tempo, atendimento e novas tecnologias.

A negociação direta também não é uma coisa nova. As já citadas novas tecnologias é que facilitaram que o processo ocorresse de forma mais segura, fácil e rápida. O mercado é livre e a legislação permite aos proprietários optar pelo formato de compra e venda que melhor atenda às suas necessidades, fazendo com o que os corretores precisem valorizar ainda mais seus esforços para manter seu espaço no mercado e justificarem as taxas de corretagem, que variam de 5 a 10% no estado de São Paulo.

É desleal dizer que o mercado de intermediários vai acabar, porque não vai. Sempre vai haver quem prefira vender diretamente para economizar, assim como há quem prefira investir para ter assessoria de um profissional altamente qualificado, evitando problemas na documentação, negociação ou golpes.

Mas não há dúvidas que o papel do corretor de imóveis do futuro precisa mudar. Ele terá que substituir totalmente o proprietário do imóvel em todo o processo da venda, que não quer ou não pode de seu tempo para receber visitas e negociar. E terá que tratar o imóvel como seu, fazendo a demonstração com conhecimento profundo de suas vantagens e da localização, para valorizar o imóvel e fechar a venda.

Infelizmente, se torna inviável trabalhar uma carteira com dezenas de imóveis com o mesmo cuidado, resultando na tendência pela corretagem com exclusividade no futuro. No contrato de exclusividade, o corretor terá que valorizar suas características individuais como profissional, e não depender mais da quantidade para garantir seus lucros no fim do mês.

Os ganhos da exclusividade serão muitos: maior valorização do corretor como profissional; justificar as taxas de corretagem, uma vez que o imóvel é trabalhado do começo ao fim; e dedicação maior a menos imóveis, com maiores chances de venda.

É claro que não podemos descartar a tecnologia como aliada nesse processo de transformação da profissão, e como tal tem todos os recursos para se modernizar e acompanhar o mercado sem ficar para trás. é importante para aumentar seus resultados e manter sua profissão no futuro.

Naturalmente que apareçam as incertezas diante de um novo cenário que tem se reformulado e avançado tão rapidamente. Mas não se pode negar que com o volume de alternativas que englobam os negócios imobiliários, a presença do corretor não se faz totalmente desnecessária, muitas pessoas ainda se sentem mais confortáveis com uma figura mais tradicional e conhecida, algo que a tecnologia vem para garantir maior agilidade, automatização e possibilidade para o corretor, não para o substituir.

 

* Renato Orfaly é CEO da Casafy, com mais de dez anos de atuação no mercado imobiliário

SEGURO DE VIDA

Bernardo Castello, Diretor na Bradesco Vida e Previdência

Pesquisa da Universidade de Scranton, na Pensilvânia, mostra que aproximadamente 45% das pessoas nos Estados Unidos fazem resoluções de ano novo. No contrapeso, o estudo também constata que apenas 8% delas atingem as metas planejadas. Não há uma pesquisa correspondente à população brasileira, mas certamente a porcentagem de pessoas por aqui que elaboram suas listas de objetivos é grande e a falta de concretização igualmente frustrante. Planejar é fundamental para a conquista daquilo que almejamos, em todos as esferas da nossa vida. Mas, além do planejamento, é preciso escolhermos bem nossas reais prioridades e traçarmos o caminho para alcançá-las em curto, médio e longo prazo. Pensando nisso, você já parou para pensar que o Seguro de Vida deveria estar na sua resolução de ano novo? Ainda pouco disseminado no Brasil, ele pode ser uma importante estratégia para ajudá-lo na proteção de quem mais importa e possui uma série de benefícios pouco disseminados e que podem estar diretamente alinhados com sua lista de desejos.

A tradição de resoluções de ano novo atravessa o tempo. O que fazemos atualmente é uma releitura iniciada pelos antigos babilônios que realizavam promessas aos deuses no início de cada ano. Era uma prática comum em Roma e ganhou derivações religiosas no início do Cristianismo e do Judaísmo, na procura de objetivos anuais que proporcionassem a melhora de si mesmos. Hoje o costume é praticado no mundo todo. No Brasil, entre os itens mais populares das listas estão a realização de cursos, viagens, casamento, gravidez e mudança de imóvel. De fato, cada pessoa é única e suas necessidades e sonhos também. Mas há algo comum a todos: a necessidade de proteção. Como está o nosso planejamento para o ano em termos de proteções?

A vida é uma jornada com várias fases que se apresentam com necessidades bem distintas, mas que são convergentes quando falamos em proteção. Quem se planeja, protege “o dia seguinte” de tudo que realmente importa. E é exatamente nesse ponto que o Seguro de Vida se torna essencial no presente em uma construção estruturada para termos a tranquilidade de um futuro seguro. Ele nos auxilia a concretizar nossos planos, viajar com segurança, preservar nossa família, garantir os estudos dos nossos filhos e dependentes, além de desenvolver negócios com mais confiança. Gosto de pensar no Seguro de Vida como um amparo para prosseguir o dia a dia sem o peso do medo e da ansiedade sobre o que pode acontecer em situações emergenciais.

Incluir o Seguro de Vida na resolução de ano novo é parte do movimento da educação financeira que desejamos para a nossa sociedade. No mundo ideal, ele se enquadra no orçamento familiar, assim como as contas do telefone celular e da energia elétrica. Uma prática já muito comum em outros países, com um campo enorme de expansão no Brasil e que tem uma série de coberturas e benefícios com impacto significativo na lista de prioridades da população.

Para àqueles que já contrataram o Seguro de Vida, o começo do ano pode ser utilizado para uma revisão da apólice, com suas coberturas e assistências. É o momento de reavaliar o seu momento de vida e repensar se tudo o que está contratado, de fato, é necessário e realocar necessidades de acordo com a fase da vida.

Que em 2020 estejamos prontos para vivermos um ano incrível de desafios e conquistas. E que as nossas listas de objetivos pessoais estejam recheadas de itens que brilhem os nossos olhos, mas que acima de tudo nós, nossos entes amados e nossos sonhos estejam protegidos.

“CU”

Etano Veloso, agora defecando em inglês contra nosso Presidente Jair Bolsonaro. Como disse aquela cantora: ” Tudo chupador de … do Lula.”

DICA

Ver os ensaios das escolas de samba, no entorno da Praça XV de novembro.

PRAIAS

Do Campeche bombando neste verão A praia central, tem a melhor estrutura. Só uma dica para os usuários: Cuidados na preservação.

FRASE

” Perdão foi feito pra gente pedir.” Ataulfo Alves

LEITURA

ESTÓRIAS DA CASA VELHA DA PONTE – Cora Coralina. Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, que adotou o pseudônimo de Cora Coralina, era filha de Francisco de Paula Lins dos Guimarães Peixoto, desembargador nomeado por D. Pedro II, e de dona Jacyntha Luiza do Couto Brandão. Ela nasceu e foi criada às margens do Rio Vermelho. Estima-se que essa casa foi construída em meados do século XVIII, tendo sido uma das primeiras edificações da antiga Vila Boa (Goiás).

 

Monumento com a poesia de Cora Coralina

 

Poesia de Cora Coralina. (Foto Wikipedia)

 

Começou a escrever os seus primeiros textos aos 14 anos, publicando-os posteriormente nos jornais da cidade de Goiânia, e nos jornais de outras cidades, como constitui exemplo o semanário “Folha do Sul” da cidade goiana de Bela Vista e nos periódicos de outros rincões, assim como a revista A Informação Goiana do Rio de Janeiro, que começou a ser editada a 15 de julho de 1917. Apesar da pouca escolaridade, uma vez que cursou somente as primeiras quatro séries, com a Mestra Silvina (Mestre-Escola Silvina Ermelinda Xavier de Brito (1835 – 1920)). Conforme Assis Brasil, na sua antologia “A Poesia Goiana no Século XX” (Rio de Janeiro: IMAGO Editora, 1997, página 66), “a mais recuada indicação que se tem de sua vida literária data de 1907, através do semanário ‘A Rosa’, dirigido por ela própria e mais Leodegária de Jesus, Rosa Godinho e Alice Santana.” Todavia, constam trabalhos seus nos periódicos goianos antes dessa data. É o caso da crônica “A Tua Volta”, dedicada ‘Ao Luiz do Couto, o querido poeta gentil das mulheres goianas’, estampada no referido semanário “Folha do Sul”, da cidade de Bela Vista, ano 2, n. 64, p. 1, 10 de maio de 1906. No jornal Tribuna Espírita – Rio de Janeiro, 31 de dezembro de 1905.

ABRAÇOS

Coluna Opinião Formada – Walter Lemos Filho – E-mail: walterlemos1961@gmail.com

 

Publicidade