Publicidade

De onde vem a expressão “comprar gato por lebre”? Vem justamente dos tempos em que açougueiros desonestos justamente abatiam gatos clandestinamente e vendiam a carne afirmando tratar-se de lebre, o que não era.

Esse mesmo tipo de desonestidade parece que recentemente em Manaus, capital do Amazonas.

Um açougueiro ou sabe-se lá o que era (parece de um vendedor de rua metido a açougueiro) teve a coragem de matar urubus e depois vender a carne como se fosse de galinha caipira ao preço promocional de R$ 5,00 o quilo.

E teve gente que comprou sem perceber o perigo que estava levando para casa, pois, segundo os médicos, os urubus, por se alimentarem exclusivamente de animais em putrefação, têm bactérias nocivas que podem provocar toda sorte de doenças aos humanos que consumirem tal tido de carne.

A vigilância sanitária do Amazonas atuou no caso, o vendedor da dita “galinha caipira” foi autuado e responde a processo por colocar a saúde pública em risco.

 

FAKE NEWS

A notícia, que agitou o norte do Brasil, vem sendo divulgado como “Fake News”. Porém alguns jornais da região asseguram que realmente trata-se de uma notícia com veracidade e há um vídeo, agora disponível no You Tube, mostrando um “maluco” dependendo um urubu morto e preparando-o como se fosse galinha.

Se é apenas “Fake News”, qual a razão do cidadão de estar perdendo tempo cortando um urubu morto?

Mas também há fortes indícios de que realmente seja uma “Fake News”. Porém não se nega que a ave que o cidadão ali está dependendo é realmente um urubu. Agora, se o bicho foi ou não comercializado como “galinha caipira”, eis a questão.

 

Carne do horror. Urubu abatido que era vendido como se fosse galinha caipira. (Foto Reprodução You Tube)
Feijoada do Décio 2020. (Foto Divulgação)

VÍDEOS

 

Feijoada do Décio 2020. (Foto Divulgação)

Jornais em Foco – Quarta-feira (15/01/2020)

Publicidade