Publicidade

Aqui o release da assessoria de imprensa: “Nesta quinta-feira, 13/02/2020, pela manhã, a equipe do Instituto Australis encontrou, durante o Monitoramento de Praias, a carcaça de um cetáceo encalhado na praia da Guarda do Embaú, em Palhoça/SC. O Protocolo de Encalhes da Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca/ICMBio foi acionado, juntamente com as outras equipes do PMP-BS para realização da necropsia.

O animal trata-se de uma baleia-bicuda-de-cuvier (espécie Ziphius cavirostris), macho adulto de 6,20 m de comprimento. É um espécime raro, de habito oceânico, sendo este o primeiro registro em Santa Catarina. Apesar de ser chamado de baleia, este animal faz parte do grupo dos golfinhos, que possuem dentes, mas uma curiosidade que o difere muito das outras espécies é que possui apenas um único par de dentes que se projetam para frente e para fora da boca, na ponta da mandíbula inferior, e só surgem em machos adultos.

Participam desta ação o Instituto Australis, a Associação R3 Animal, e o Laboratório de Zoologia da Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC, instituições executoras do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS). Após a necropsia o esqueleto do animal será recolhido.

O PMP-BS é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural no Polo Pré-Sal da Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama. O objetivo é avaliar possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos encontrados mortos. O projeto é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O Instituto Australis monitora o Trecho 2 compreendido entre Imbituba e Governador Celso Ramos.”

 

Baleia em Palhoça. (Foto Divulgação Instituto Australis)

 

Publicidade