Na manhã de hoje (sexta, 06/03/2020), estão sendo usados drones para tentar localizar prováveis bois que serão usados na farra do Boi em Governador Celso Ramos. A operação está sendo realizada pela PM e Cidasc, que estão fiscalizando fazendas e sítios de Biguaçu e Governador Celso Ramos.

Segundo a polícia, o objetivo é localizar os bois “escondidos”, mantidos discretamente em áreas reservadas para depois serem levados às farras.

De acordo com a notícia, quem promover farra do boi será multado em R$ 10 mil e os que participam terão de pagar R$ 1 mil.

Perguntar não ofende: até o presente momento, alguém já foi multado por praticar farra do boi? Alguém respondeu processo por levar bois para a farra? Algum participante teve de pagar multa? Por exemplo, o caso do bebê que morreu ao ser atingido por um boi na localidade de Jordão numa farra de 2004 teve alguém punido? Os donos do tal “boi” foram identificados? Foram condenados? Já estão cumprindo pena? Pagaram alguma multa?

São perguntas não ofensivas, pois a farra é proibida desde 1998, mas simplesmente os farristas ignoram a proibição e promovem a tal festa abertamente.

Por outro lado, todo ano a polícia faz barreiras na cidade, mas a farra é realizada. Sempre dá-se o jeito para que a festa seja promovida.

A questão é: não é desperdício de dinheiro e tempo se os farristas não serão realmente punidos? A partir do momento em que ninguém que promove tal prática é realmente punido, para que então fazer operações policiais? Não é melhor deixar de lado e fazer outra coisa e deixar os farristas em paz porque as autoridades não fazem a lei ser cumprida de fato.

Não é crítica. É uma constatação. Vamos botar nomes aos bois. É impressionante que entra ano, sai ano, entra década e sai década e a história se repete: fazem de conta que coíbem a farra e os farristas fazem de conta que a prática é legal etc e tal.

Perfeito. Continuem o teatro.

 

Feijoada do Décio 2020