Publicidade

Nesta semanas, duas ovelhas e um carneiro foram roubados de uma fazenda da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) situada na região da Tapera, sul da Ilha, no interior de Florianópolis.

Pelo longo astro de sangue, subentendeu-se que os animais foram mortos e levados para um veículo.

Como é uma universidade federal, quem investigou o crime foi a Polícia Federal e os policiais, ao analisarem imagens das câmeras de segurança, verificaram que por volta das 21h apareceram cenas que podem levar à identificação dos autores do crime.

O problema nem é mais isso. O que é bem problemático é o perigo de consumir a carne desses animais. Por quê?

As ovelhas e o carneiro são “cobaias”, isto é, estavam sendo usadas para teste de vacina.

O leitor sabe como é que se faz uma vacina? Introduzindo vírus na corrente sanguínea de animais.

A vacina é fabricada com anticorpos que os animais produzem para combater a infecção.

Segundo a professora de zootecnia, Patrizia Ana Bricarello, quem consumir a carne desses animais corre sério risco de contaminação.

Vale lembrar que os virus são mutantes. Os vírus podem mudar dentro do corpo dos que consumirem a carne e esses passarem a contaminar outros.

Como se criou o coronavírus? Alguns chineses comeram carne de morcego comprado num mercado em Wuhan. O vírus entrou no corpo dos comedores e o vírus modificou. Hoje o mundo está de quarentena.

 

ANUNCIAR NOS JORNAIS EM FOCO É A CERTEZA DE ATINGIR O SEU ALVO

Publicidade