Publicidade

O leitor já ouviu falar de Hernán Cortez (Cortés) (1485-1547), o conquistador do México?

Eu ouvia o vídeo do jornalista Eduardo Bueno, o “Peninha”, autor de diversos livros sobre a história do Brasil, por sinal muito bem escritos.

Bueno criou um canal no You Tube onde ele posta vídeos sobre história e um dos mais recentes, em alusão dos tempos de pandemia que estamos atualmente enfrentando, tem como título “Vírus tribal: a conquista microbiana do novo mundo”.

Eduardo comentava sobre o extermínio de índios americanos por causa dos vírus trazidos pelos portugueses, espanhóis e europeus em geral.

Aos 19 minutos e 50 segundos de seu vídeo, Eduardo disse que Hernán Cortez “matou o rei asteca Montezuma”.

Na realidade, foi um equívoco. Acabei postando a seguinte mensagem para ajudá-lo em seu excelente canal de historiografia: “Eduardo. Uma pequena correção no trecho que está em 19:50. Cortez não matou o rei asteca Montezuma (em 1520). O monarca em questão, que pensava ser Cortez um certo Deus da mitologia indígena, Quetzo… não sei o quê ((Nota: o nome do Deus é Quetzalcóatl), morreu apedrejado quando foi discursava diante a multidão que se revoltou contra o que ele disse.

Preciso reler aquele livro famoso sobre a conquista do México (Nota: era o livro “O Fim de Montezuma”, de Hernan Cortez, tradução de Jurandir Soares dos Santos, editado pela L&PM). Li há muitos anos. Não me lembro mais dos detalhes, mas lembro-me perfeitamente da morte por apedrejamento e “otras cositas más” jogadas sobre o famoso Montezuma. (Nota posterior: foi uma pedrada na cabeça que levou o rei indígena ficar em coma e morrer dias depois.)

Parece que Montezuma foi defender Cortez, os índios não gostaram e deu o rolo todo. Cortez conversava com Montezuma através de uma índia intérprete chamada Malintsin (não me recordo direito como se escreve). (Nota: em espanhol, escreve-se “Malinche”. O nome original indígena era Malintzin).

Era uma índia inteligente. Com pouco contato com os espanhóis, conseguiu aprender o espanhol. Foi uma intérprete fundamental. Merece até um vídeo. Ela engravidou de Cortez e nasceu o primeiro “mestiço” do México (nota: o nome desse filho era Martin Cortés).

No México atual, há uma expressão no espanhol falado daquele país- Malinchero”, que significa “traíra” e coisa pior. Refere-se à índia Malintsin.(Malintzin).

Já escrevi demais. Parabéns pelo seu canal. Abraços. Ozias Alves Jr, jornalista em Biguaçu (SC).”

 

HISTÓRIA

Enfim, a história da conquista do México é uma p..ta de uma baita história. É sensacional. Preciso reler o assunto.

 

VÍDEO

 

 

 

https://chat.whatsapp.com/CwLeRbK861A1Ks6fButk29

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade