Publicidade

A  decisão da comissão especial de impeachment, que aprovou por unanimidade o reconhecimento de crime de responsabilidade do governador Carlos Moisés (PSL) e da vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido) no caso do reajuste dos procuradores, não era novidade. Mas a situação ganhou novos contornos após o MPF oferecer denúncia no âmbito da Operação Alcatraz contra o presidente da Assembleia, Julio Garcia (PSD), acusado de lavagem de dinheiro.

O presidente da Alesc é o primeiro na linha sucessória do governo caso o afastamento se confirme em plenário —são necessários 27 dos 40 votos para o afastamento—, mas poderá ficar impedido de assumir o cargo se a denúncia for aceita pela Justiça Federal.

A votação pela aceitação do impeachment está prevista para o próximo dia 22, mas interlocutores dizem que o presidente da Alesc vai antecipar já para esta semana.

O impeachment ganha contornos imprevisíveis e pode acabar colocando o presidente do Tribunal de Justiça na cadeira de governador. Ricardo Roesler é o terceiro na linha sucessória.

Tudo ainda está no campo da especulação e para que se confirma é preciso que sejam cumpridas as formalidades necessárias: votação em plenário, encaminhamento na Justiça e validação da comissão julgadora, grupo misto que será formado por deputados e desembargadores caso a decisão da comissão especial pelo impeachment seja aprovada em plenário.

É um caminho longo, mas com prazos exíguos, e que pode mudar a configuração do Estado em poucos dias.
Ilustre torcedora
No último domingo, 13, a Chapecoense segurou o ímpeto do Brusque e conquistou o sétimo título catarinense em sua história. O troféu de campeão veio após a segunda vitória do clube de Chapecó em cima do adversário: no primeiro jogo, a Chape ganhou por 2×0 e no segundo por 1×0. Quem está feliz é a deputada estadual Luciane Carminatti (PT), que é de Chapecó e usou as redes sociais para comemorar. “Nosso time conquistou o HEPTACAMPEONATO estadual mostrando pro estado inteiro, pro país inteiro o que é ser Chape: ser sempre o time do surpreendente, do trabalho, da entrega e da conquista”, publicou a parlamentar do oeste.
Fora do governo
O governo de Carlos Moisés (PSL) teve mais uma baixa no secretariado. Jorge Eduardo Tasca, que também é alvo no mesmo pedido de impeachment que tramita na Alesc, pediu exoneração nesta segunda-feira (14). O secretário-adjunto de Administração, Luiz Antonio Dacol, assume o cargo. Tasca responde ao processo na Alesc juntamente com o governador Moisés e a vice-governadora, Daniela Reinehr (sem partido). Com a saída da Secretaria, Tasca também foi excluído do processo de impeachment e não corre risco de também ser excluído da Polícia Militar de Santa Catarina.
Mais pobres sofrem mais  
Em agosto, enquanto a taxa de inflação das famílias mais pobres apontou alta de 0,38%, a faixa de renda mais alta registrou uma deflação de 0,10%, informou o Ipea.
Teletrabalho 
O Bradesco será o primeiro banco a oferecer a categoria de teletrabalho aos seus funcionários. O banco fechou acordo com o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região. Pelo acordo, o Bradesco vai dar auxílio de R$ 1.080.
200 mil 
O Estado de Santa Catarina atingiu 200 mil infectados por coronavírus. As mortes alcançaram 2.569 casos nesta terça, 15.

https://chat.whatsapp.com/IG6sLw6aHO5CjRXeBtSCkM

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade