Publicidade

Gustavo Nunes Pires, morador de Biguaçu, questiona o paradoxo: por causa da pandemia da covid-19, tem havido uma série de restrições. Os trabalhadores não podem aglomerar-se nos ônibus para ir ao trabalho, o que está provocando uma série de transtornos. Muita gente perdeu o emprego porque simplesmente por não ter ônibus para ir ao trabalho e pela empresa não poder funcionar como era antes.

Até aí, até entende-se em virtude do combate à doença. Mas Gustavo chama a atenção para um fato paradoxal: as carreatas políticas estão liberadas, ou seja, o povo pode aglomerar-se nas ruas para seguir seus candidatos a prefeito.

Gustavo não entende como as autoridades proibiram a circulação de ônibus alegando que tal medida é para evitar aglomerações, o que destruiu empregos e empresas, sem falar da fome e falta de dinheiro, mas não proíbe as carreatas.

O popular não está dizendo que é a favor das aglomerações dentro dos ônibus em nome do trabalho. O que ele quer dizer é que o mesmo critério que se teve ao proibir os ônibus também fosse o mesmo para proibir as carreatas. Para Gustavo, as carreatas deveriam ser expressamente proibidas em nome da defesa da população durante a pandemia.

“Não poderia ser feita uma campanha eleitoral diferente proibindo as carreatas e o corpo a corpo? Por que não fazer a propaganda apenas pela internet e pelas redes sociais? As autoridades não veem que fazendo os políticos circularem pela cidade, visitando casa a casa, abraçando, beijando, conversando com o povo frente a frente e com pequenas multidões atrás, está espalhando mais ainda a covid-19”, comenta.

Gustavo tem uma mãe idosa e ele teve de dar uma baita bronca nela: “Não pegue santinhos na frente de casa e não se aproxime tanto dos políticos que aparem na frente de sua casa. Tome cuidado com a covid-19. Tome cuidado com aglomeração”.

“Os candidatos Vilson Alves e Coronel Peres pegaram o vírus. O prefeito Ramon também está com a doença. Isso não é exemplo suficiente para ver como é perigoso deixar as carreatas serem realizadas normalmente?”, questiona Gustavo.

 

VÍDEO

A indagação de Gustavo tem plena razão. Por exemplo, por causa da covid-19, as aulas estão suspensas nas escolas. Prejuízo incalculável tanto para as escolas em si (perda de mensalidades e toda a economia que gira em torno desse setor) como também para os alunos, maioria dos quais simplesmente prejudicados com relação ao conteúdo das aulas.

Nas redes sociais, está circulando um vídeo de um cidadão, que não se chama Gustavo, mas está tão indignado quanto, que mostrou um verdadeiro paradoxo: as multidões de pais e filhos indo para o Beto Carrero World, em Penha, litoral norte do estado de Santa Catarina.

O parque foi autorizado recentemente a reabrir as portas e multidões foram para lá.

Então o cidadão questionou: como é que as autoridades continuam mantendo as escolas fechadas enquanto que o Beto Carrero World está aberto e AGLOMERANDO MILHARES DE PESSOAS?

Afinal de contas, o vírus da Covid-19 consegue ser “barrado” na entrada do Beto Carrero?

Confira o vídeo em anexo:

 

 

https://chat.whatsapp.com/D7vhA0aRnv1AwiF51xznxl

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade