Publiquei recentemente um artigo intitulado “A Irresponsabilidade da Esquerda da Grande Florianópolis”, cujo link é o seguinte:

 

A Irresponsabilidade da Esquerda da Grande Florianópolis

Sobre este artigo em que abordei a irresponsabilidade de gente dessa corrente política no episódio do surgimento há 30 anos das favelas da Via Expressa, entre outras, um cidadão, cujo nome não foi informado, fez a seguinte observação: “(…), afirmas que “O mínimo da cidadania é ter onde morar etc e tal. Mas até que ponto é possível esperar que o governo possa resolver esse problema específico?”. Pergunto, se não cabe ao poder público (governo) resolver o problema de habitação para cidadãos de baixa renda e consequentemente baixo poder político, a quem caberia na tua opinião? Aos cidadãos de bem espontaneamente organizados? Às igrejas? À ONU?

Bom! A minha resposta é a seguinte: qualquer um, menos qualquer coisa que seja de ideologia esquerdista.

Onde a esquerda toma o poder, por mais “bem intencionada” que seja a propaganda, por mais que promete “pão e liberdade”, o resultado é trágico: pobreza e matança.

Estamos diante de uma ideologia traiçoeira, mentirosa, baseada na fraude e ASSASSINA. Façam uma consulta básica em “O Livro Negro do Comunismo”.

É claro que o Estado, pelo simples fato de que recolhe impostos, deveria e poderia investir na construção de casas para atender a população mais carente.

Mas o problema é que o Estado logo transforma-se numa Casa da Mãe Joana de toda sorte de parasitismos.

O Estado é como um “Buraco Negro”: o dinheiro arrecadado nunca é suficiente para pagar tantos parasitas.

Como resolver o problema? No mínimo, pelo Estado mínimo.

Quem gera riquezas e empregos? É o empresariado.

A Esquerda, em qualquer de seus pronunciamentos, põe a culpa no “estado capitalista” do Brasil?

Que capitalismo tem o Brasil? O Estatismo, o excesso de impostos, a máquina administrativa saindo pelo ladrão (nos sentidos amplos que incluem caixa d´água e o sentido literal da palavra também) por causa do empreguismo descontrolado dos “amigos”?

Capitalismo de fato significa impostos mais racionais, Estado Mínimo, liberdade econômica e trabalhista e justiça que funciona. O Brasil hodierno está longe de ser um país “capitalista” de fato. É uma ditadura comunista disfarçada.

O Estado poderia e deveria fazer casa, mas, se for criada uma estatal para isso, o que menos verá é construção de casa porque o dinheiro será inevitavelmente desviado.

Como resolver isso? Com mais capitalismo. Quando falamos de “capitalismo”, estamos nos referindo a uma sociedade livre, com menos impostos, mais liberdade econômica para que os empresários possam agir e investir.

Capitalismo onde o estado cobra impostos abusivos e cria obstáculos para exigir propinas, não é capitalismo, mas um comunismo disfarçado.

Empresários geram empregos e estes transformam em salários para o povo. E com o dinheiro no bolso, o povo compra, inclusive a sua casa através do financiamento.

País livre é país do capitalismo livre pleno para que a população possa trabalhar com plenitude.

Esta é a visão que separa as duas ideologias: a liberal e a comunista disfarçada numa miríade de nomes que, na realidade, só escondem o DNA marxista.

 

Ozias Alves Jr

E-mail: reportagemjbfoco@gmail.com

 

Comunismo. (Foto Imagem de OpenClipart-Vectors por Pixabay)

 

https://chat.whatsapp.com/D7vhA0aRnv1AwiF51xznxl

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.