Quando abrir o ano legislativo, isto é, quando a câmara municipal de Paulo Lopes iniciar suas sessões, a vereadora Luciana Espíndula (MDB) subirá na tribuna para questionar qual a razão do aumento acima da média da energia elétrica distribuída no município?

Luciana não está criticando nem brigando, mas observa que foi procurada pelos associação da cooperativa de eletrificação que atende o município e também porque o momento não é propício para aumentos. Vale lembrar que a crise do coronavírus ainda não acabou, os lockdowns sucessivos provocaram quebra de empresas, o desemprego aumentou e o povo, cuja renda baixou significativamente, não pode estar arcando com tarifas mais altas.

“Eu estou com o povo. Quero saber qual a razão desse aumento e como a cooperativa de eletrificação pode revogar os aumentos, pelo menos nesse momento de crise. Não quero brigar com ninguém, mas os associados não param de me procurar para saber do por quê de tanto aumento. Surgiu um grupo de associação no whatsapp e eles postaram críticas contra os vereadores. Mas quero enfatizar que estou com o povo. Por isso, estou agindo para tentar saber o que está acontecendo e depois lutar para que esse aumento seja revogado ou, se o aumento for inevitável, pelo menos fique num nível aceitável”, observa a vereadora Luciana.

Luciana Espíndula, vereadora quer saber qual o motivo do aumento da energia elétrica em Paulo Lopes. (Foto CMPL)

 

 

https://chat.whatsapp.com/FPjwOITgOdo9LQnZAJprNs

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.