Se Salete Cardoso (PL), acusada pela polícia civil de ter sido “Funcionária Fantasma” na prefeitura de Biguaçu nas administrações Castelo e Ramon Wollinger, for cassada, quem vai assumir o lugar dela?

Esta foi a pergunta de um leitor e a resposta seria a seguinte: quem assumiria no lugar dela seria Wiler Faria (PL), que teve 255 votos na eleição de novembro do ano passado.

Se Salete não conseguir provar que realmente batia expediente e trabalhava em seu cargo comissionado dentro da prefeitura de Biguaçu no horário comercial, estará em maus lençóis, salvo se os novos vereadores negligenciarem a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para averiguar toda essa história.

Por outro lado, como Salete sacaneou os candidatos a vereador pelo PL, agora, por ironia do destino, os que foram tapeados têm tudo para dar o troco nele. Pois expliquemos.

 

COMO SALETE PASSOU A PERNA NA ELEIÇÃO 2020

Conforme o JBFoco previu em artigo publicado em 21 de janeiro de 2020, dez meses antes da eleição daquele ano, Salete iria lançar-se candidata a prefeita, mas no último segundo antes de registrar candidatura, iria “saltar” anunciando que seria candidata a vereadora.

O objetivo dela, conforme informamos na ocasião, era reunir bons candidatos a vereador.

O plano era o seguinte. Salete é boa de voto, mas não consegue sozinha eleger-se. Ela precisa da votação de outros candidatos para alcançar o quociente eleitoral e assim conquistar sua vaga no legislativo.

Salete sabia que, se anunciasse no início do ano que seria candidata à reeleição, não conseguiria reunir bons candidatos a vereador para seu partido, o PL.

A “atriz” Salete chegou até mesmo a fazer lançamento de sua candidatura a prefeita, com a presença do senador Jorginho Melo, mas acabou desistindo para lançar-se a vereadora em 26 de setembro de 2020.

 

TRAIÇÃO

Estourou a maior confusão dentro do partido, entre os candidatos a vereador pelo PL, mas ela, como boa “atriz” que é, mesmo flagrada na maior traição, conseguiu persuadir a maioria dos candidatos que o ajudasse a conquistar votos, pois “Vilson Alves venceria a eleição”.

Ou seja, a promessa era simples: Vilson iria ganhar eleição, Salete iria ser secretaria municipal e iria contratar os candidatos a vereador do PL que não conseguiriam entrar como funcionários comissionados da prefeitura.

E o pior que o pessoal, pelo menos em sua maioria, acreditou nessa história.

Em resumo: já se sabia de antemão que Vilson não iria vencer a eleição por “n” motivos e que Salete não teria como conseguir tantos empregos comissionados para os candidatos a vereador de seu partido.

E assim aconteceu: Salete, mais uma vez, deu-se bem em sua encenação teatral.

Ela se salvou reelegendo-se e ela não tem como atender a todos os seus cabos eleitorais voluntários e os involuntários. Na câmara municipal, o número de cargos é muito limitado.

Agora resta Salete querer tentar aproximar-se do prefeito eleito, Salmir, porém ele próprio já declarou que não há como conversar com esta cidadã que muda de ideia tal como se muda de roupa.

 

O TROCO

E por ironia do destino, eis que em dezembro do ano passado, a polícia apareceu na prefeitura de Biguaçu e, inclusive, vasculhou o apartamento de Salete levando documentos e o computador dela.

Qual a razão? É que a polícia a acusa de ser “Funcionária Fantasma”, ou seja, ela teria recebido durante anos salário de funcionária comissionada, mas não trabalhava nem batia expediente.

Por ironia do destino, no ano passado, quando o ex-vereador Douglas Borba caiu em desgraça, Salete entrou imediatamente com pedido de cassação do mandato dele. Eis as razões.

Douglas foi o segundo vereador mais votado na eleição de 2016. Porém, com a vitória de Carlos Moisés para governador do Estado de Santa Catarina em outubro de 2018, durante a “Onda Bolsonaro”, Douglas licenciou-se da câmara de Biguaçu para assumir o cargo de secretário de Estado da Casa Civil.

Porém, em abril de 2020, durante a crise da pandemia, Douglas caiu em desgraça por causa do escândalo dos respiradores.

Em resumo: Douglas foi demitido, preso, conseguiu depois liberdade para responder o processo em liberdade e Salete Cardoso, que odeia Douglas, não perdeu tempo: entrou com pedido de cassação de mandato contra Douglas e este, antes de ser julgado pela Comissão Processante da Câmara, renunciou ao cargo.

Quer dizer, Douglas levou de Salete a facada final que destruiu certa e completamente sua carreira política.

 

A “MORALISTA” QUE PERDEU A MORAL

Por ironia do destino, Salete alegou que Douglas tinha de ser cassado por “falta de decoro parlamentar”.

Nada contra. Estava correta, se bem que Douglas ainda não foi julgado e a “bronca” que ele responde é no governo do Estado e não dentro da prefeitura ou câmara de Biguaçu.

Não estamos defendendo Douglas, mas se Salete alegar que não pode ser cassada na câmara por algo dentro da prefeitura e, portanto, isso não é falta de decoro legislativo, seu argumento cairá por terra na simples menção de seus argumentos contra Douglas durante seu pedido de cassação contra este último em 2020.

 

O PL

E voltando à eleição de novembro de 2020, Salete traiu a todos de seu partido, ao fazer ao lançar a candidatura a prefeitura, mas desistido e feito todos literalmente de “Palhaços”.

E no final, conforme previmos, quem manteve a candidatura a vereador, acabou reelegendo Salete que, ainda por cima, conseguiu convencer os incautos que seriam recompensados por uma multidão de cargos dentro da prefeitura na administração do “futuro prefeito Vilson Alves”. Vilson acabou levando a maior surra eleitoral!

Agora os ex-candidatos a vereador pelo PL na eleição de 2020, aqueles que a vereadora “ixpérta prá caracas” fez de literais “Palhaços”, têm a faca e o queijo na mão para devolver toda a “palhaçada” feita por Salete Cardoso.

Basta apenas pressionar para que seja aberta a comissão processante na câmara contra ela.

 

Wiler Faria. (Foto Divulgação)

 

https://chat.whatsapp.com/KGHnAVR0IDg76hT4dBMrAX

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.