Publicidade

Nas últimas sessões da Câmara Municipal de Palhoça, o tema central das discussões tem sido o enfrentamento da pandemia.

Por isso, o secretário de saúde do município Rosiney Horácio foi convidado para comparecer à sessão online para tirar algumas dúvidas.

Sobre a fila de vacinação, o secretário garantiu que há doses suficientes para as faixas de idade convocadas.

Sendo assim, para não haver filas, não é preciso ir no período da manhã. Outro questionamento bastante frisado foi a respeito da necessidade de levar o cartão SUS para a vacinação. O secretário explicou que essa é uma exigência do Ministério da Saúde e que o cidadão que ainda não possui o cadastro precisa, antes de ir aos pontos de vacinação, dirigir-se à unidade de saúde do seu bairro.

O tratamento precoce também foi uma discussão presente em outras sessões e que foi debatida com o secretário. Ele explicou que cada médico está livre para aplicar a conduta que considera mais adequada para o momento “Eu não posso, como secretário, impor o medicamento que o médico irá prescrever”, afirmou. Ele garantiu ainda que, para os médicos que defendem o tratamento precoce, boa parte da medicação já está disponível e que os medicamentos em falta já foram solicitados.

Ele frisou também que não há como o município priorizar a vacinação, por exemplo, de professores. Os grupos prioritários são definidos pelo Ministério da Saúde. Porém, segundo ele afirma, Palhoça é favorável à priorização dos educadores nessa discussão.

 

 

Publicidade