Publicidade

Ozias Alves Jr

E-mail: ozias@jbfoco.com.br

Na década de 1980, havia uma música que marcou época em Biguaçu. Trata-se da canção “Planeta Terra”, composta por Nauzita Rodrigues e Marcos Campos. Nalzita é de família do centro de Biguaçu.

“Planeta Terra” é uma música romântica, de tom triste, uma canção original “Made in Biguaçu”. Se no futuro alguém vier a produzir algum CD com uma seleção das mais belas canções originalmente compostas por moradores de Biguaçu, certamente “Planeta Terra” deverá figurar entre as primeiras.

Era uma bela canção, mas, segundo os irmãos de Nauzita, Dauri e Rogério (Rogerinho) Rodrigues, da qual não restou um só registro em fita cassete ou em vídeo. Se houve, não é de conhecimento da família. Se isso for confirmado, a música em questão que marcou uma época na cidade “perigava” desaparecer sem ter tido um registro mínimo sequer.

No You Tube há uma entrevista do JBFoco com o músico Dauri Rodrigues datada de 2009 e disponível no link: https://www.youtube.com/watch?v=nIX_WQeFt_Y

Um internauta que se identificou como “Cavaleiro Templário” enviou-me há poucas semanas a seguinte mensagem: “Boa tarde Ozias! Estou vendo uma entrevista do Dauri em 2009. Tu pergunta sobre uma música, que acredito ser uma música que a letra é minha e a música é da Nauzita, irmã do Dauri. A música é “Terra”. Foi tocada no show da praça com a flauta de um carioca que no momento não lembro o nome. Tenho fotos. Mas estou pretendendo tentar reunir músicos do meu conhecimento e gravar.”

 

HISTÓRIA

O internauta “Cavaleiro Templário”, que na realidade agora entendi tratar-se de “Marcos Campos”, um dos autores da citada música, enviou-lhe algumas fotos de suas participações no 1º Festival da Música de Biguaçu, ocorrida em 1985 ou 1986. Numa dessas fotos, está ele cantando “Planeta Terra”.

“Vou te mandar fotos do show que ocorreu na praça Nereu Ramos (em frente à sede da prefeitura- 1986) e do 1º festival de música em que interpretei a música do Luiz da farmácia (1985)”, informou-me o internauta.

 

SOBRE FESTIVAL

Semana passada Rogerinho Rodrigues veio no escritório do JBFoco informar sobre sua nova banda. Na ocasião, por “coincidência”, comentei a ele que havia recebido mensagem de facebook reportando-se sobre uma canção composta pela irmã dele, Nauzita.

“Sim, é o Marcos Campos (hoje residindo em São José). Ele participou de um festival de música na praça de Biguaçu (1986). Marcos e Nauzita tocaram “Planeta Terra” e quem tocou flauta acompanhando essa música foi, se não me engano, o carioca Bira”, observou Rogerinho.

Bira era um sambista que residia em Biguaçu na época. Músico talentosíssimo e virtuosíssimo no violão, também fazia performance em flauta. Hoje ignora-se seu paradeiro.

 

MARCOS CAMPOS

 

Marcos Campos, canção Planeta Terra, 1986
Marcos Campos cantando em 1985 ou 1986 num festival de música na praça de Biguaçu. Ele cantava “Planeta Terra”. (Foto Divulgação)

 

 

Marquinho Campos
Marquinho, como era conhecido, foi compositor de Planeta Terra. Foto tirada provavelmente em 1986 no Festival de Música de Biguaçu na praça da cidade. (Foto Divulgação)

 

Marquinho Campos, canção Planeta Terra
Antigo vocalista Marquinho Campos em performance. (Foto Divulgação)

 

Marquinho Campos
No centro, Marquinho Campos no antigo festival de Biguaçu no ano de 1985. (Foto Divulgação)

 

Marquinho Campos
Naquele ano de 1985, Marquinho cantou a canção “Precisamos crescer”. (Foto Divulgação)

 

Marquinho Campos
Canção Precisamos crescer era uma composição de Luiz da Farmácia. (Foto Divulgação)

 

“O Marcos Campos cantou no festival de Biguaçu de 1985. Ele fez o vocal de uma música composta pelo Luiz da Farmácia, hoje trabalhando no INSS. A canção chamava-se “Precisamos crescer”. Marcos subiu ao palco com o Luiz, o Marcos, o Genilson e o Hamilton”, contou Rogerinho.

“O Marcos foi um dos membros de uma antiga banda de rock chamada Druidas, que fez história na música underground da Grande Florianópolis nos anos 1980”, lembra o músico.

Quem junta essas pequenas informações, fazer entrevistas, localizar músicos e reunir letras, é capaz de produzir “A História da Música da Grande Florianópolis”.

 

“PLANETA TERRA”

“Rogerinho. Eu me lembro daquela música da sua irmã, cujo nome era “Planeta Terra”. Tem alguma gravação dessa canção?”, perguntei.

“Não, não tem gravação alguma”, respondeu Rogerinho.

“Como assim? Não tem nada? Uma fita cassete perdida ou um vídeo da época? Estás me dizendo que não tem nada?”, questionei-o.

“Não, nada mesmo”, afirmou o músico.

“Então, espera aí, mermão. Você se lembra dessa música? Sabe tocá-la? Lembra da letra?”, questionei Rogerinho que respondeu “sim” ao “interrogatório”.

Então saquei meu celular e dei a ordem do dia: “vamos gravar agora!”

“O quê?!”, reagiu Rogerinho, mas que acabou sendo convencido da “Urgência Urgentíssima” do ato.

“Mas eu não tenho uma voz boa”, disse Rogerinho.

“Isso pouco importa, mermão! A música é melhor que sua voz- risos!!!”, brinquei.

Em seguida, argumentei: ” Rogerinho. Temos de gravar essa música do jeito que for, de improviso mesmo porque, se deixarmos para depois, para o “amanhã”, “daqui a um dia”, talvez passará batido e acabará não tendo um só registro. Vamos aproveitar que agora existe celular com filmadora, internet e facebook, tudo que não existia nos anos 1980. Se existisse essa tecnologia naquela época na nossa juventude, quantos registros interessantes teríamos feito!!!!”, disse-lhe na ocasião.

E assim, na maior da improvisação possível, Rogerinho pegou o violão de seu parceiro Enzo Deoly e cantou “Planeta Terra”. O cenário de fundo da gravação foi a redação do jornal Biguaçu em Foco.

 

LETRA

A letra dessa canção “Made in Biguaçu” é a seguinte: “Um dia todos iremos partir/ deixaremos muitas coisas bonitas/ para recordar.

Espero que antes disso/ possam conhecer/ muitas maravilhas/ esse nosso mundo esconde/

Sentir a natureza maravilhosa/ que um dia/ irá se extinguir/ por culpa de muitos/ que sem pensar/ no futuro da humanidade/ se destrói/

Então vamos aproveitar o máximo/ essa maravilha/ enquanto ela existe/ porque um dia isso vai ser história/ para ser contada/ talvez por nossos filhos/ maravilha/ que era/ esse planeta chamado Terra/ Terra.

 

ANÁLISE

Trata-se de uma canção típica de temática dos anos 1980. Na época, vivia-se a “Guerra Fria” entre Estados Unidos e a então União Soviética (1917-1991) e a qualquer momento, poderia eclodir uma guerra nuclear entre as duas superpotências.

O pano de fundo da canção “Planeta Terra” refletia justamente essa ideia do hoje (a natureza, o mundo em que vivemos) e a incerteza do futuro e da possibilidade de ser destruído.

 

VÍDEO

Se ninguém encontrar alguma gravação perdida de “Planeta Terra”, pelo menos aqui temos uma gravação da mesma feita na segunda, 14 de agosto de 2017.

Deixo registrada a sugestão. Biguaçu já tem uma Escola Municipal de Música. Quem sabe, no futuro, essa instituição grave uma seleção de canções genuinamente biguaçuenses, isto é, composições inéditas feitas por moradores de Biguaçu com o objetivo de homenagear a cidade.

O vídeo improvisado que este jornal fez mostra apenas Rogerinho cantando acompanhado do violão. No futuro, a canção poderia ser gravada com vários instrumentos e arranjos. Quem se habilita?

O JBFoco mais uma vez fez sua parte: registrou mais uma história interessante do passado do município de Biguaçu.

 

VIDEOS

Publicidade