Publicidade

Um certo prefeito da comarca de Biguaçu confidenciou-nos no início desta tarde de sexta (08/09/2017) que recebeu de vários políticos de Brasília a notícia de que há fortes indícios de que os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, além dos irmãos Wesley e Joesley Batista, poderão ter a prisão decretada nos próximos dias.

O prefeito cujo nome fica aqui em sigilo escutou, principalmente de um certo senador catarinense, do qual tem forte ligação, que, depois da deleção premiada do ex-ministro Antônio Palocci, a situação de ambos ficou insustentável perante a Justiça, principalmente Lula, que já foi condenado em 1ª instância pelo juiz Sérgio Moro.

Além disso, o procurador geral da República, Rodrigo Janot, denunciou Lula e toda a cúpula do PT, não poupando o ex-presidente. Aliás, sobre Lula, Janot escreveu em sua denúncia: “Lula, de 2002 até maio de 2016, foi uma importante liderança, seja porque foi um dos responsáveis pela constituição da organização e pelo desenho do sistema de arrecadação de propina, seja porque, na qualidade de presidente da República por 8 anos, atuou diretamente na negociação espúria em torno da nomeação de cargos públicos com o fito de obter, de forma indevida, o apoio político necessário junto ao PP e ao PMDB para que seus interesses e do seu grupo político fossem acolhidos no âmbito do Congresso Nacional.

É verdade que muitos boatos são veiculados, principalmente na internet, mas o JBFoco resolveu registrar essa informação porque partiu de um prefeito e este tem conversado com certos deputados e senadores nas últimas semanas. É que o prefeito apresentou projetos em Brasília e telefona para os políticos com o objetivo de saber como andam a tramitação das solicitações de obras públicas. No meio da conversa, os políticos comentaram a respeito da “bomba do Palocci”, como vem sendo chamada a delação premiada de Palocci, o primeiro da instância mais íntima dos governos Lula e Dilma a abrir totalmente o jogo da corrupção que culminou na atual crise pela qual o Brasil vem passando.

Portanto, o clima é de expectativa: a qualquer momento, é possível recebermos notícias de mais prisões na Lava Jato.

Publicidade