Publicidade

Não é preciso citar nomes, mas certa pessoa ligada ao futebol, ao comentar sobre a morte do adolescente Vinícius Adriano, 15, atingido por um raio durante uma partida de futebol no campo do Beira Mar, bairro Prado de Baixo, Biguaçu, ao meio dia e meia do último sábado (04/11), disse que o tempo estava “apenas nublado, sem raios ou trovoadas”, isto é, ninguém imaginaria que um raio atingiria em cheio o campo.

Na realidade, não foi bem assim. Chovia forte e havia bom número de relâmpagos, isso às 11h e pouco. A ocasião estava longe de “apenas nublado, sem raios ou trovoadas”, conforme dito.

Na realidade, logo que apareceram os relâmpagos, a partida em que participava o adolescente Vinícius deveria ter sido cancelada no ato e os jogadores, todos adolescentes, deveriam ter sido retirados imediatamente de campo, o que não aconteceu. É verdade que gurizada não tem noção do perigo.

 

HOMENAGEM

Os jogadores do Boa Vista, time de Governador Celso Ramos em que atuava Adriano, iriam desistir de participar do campeonato metropolitano de futebol sub-16. Depois da morte de Adriano, não havia mais clima para prosseguir na competição.

No entanto, os pais de Adriano convenceram os jogadores do Boa Vista a continuarem na competição em homenagem ao atleta morto.

Publicidade