Publicidade

Na próxima terça (12/12), última sessão do ano legislativo da Câmara de Vereadores de Biguaçu, também será de eleição para o próximo presidente da Casa para o biênio 2018/2019.

Tudo indica que Marconi, hoje líder da bancada que apoia o prefeito Ramon Wollinger (PSD), deverá ser eleito, se bem que até terça (12/12), muita água vai rolar. O fato é que a bancada governista é majoritária na câmara de Biguaçu e se o candidato é Marconi e este é o líder do governo, teoricamente ele será eleito por maioria, mas… vamos esperar os acontecimentos. Traíra é um peixe bem comum.

Em recente entrevista para o radialista Zebrinha, Marconi informou que pretende candidatar-se a deputado estadual na eleição de outubro de 2018 como fortalecimento para sua candidatura a prefeito de Biguaçu em 2020.

Segundo Marconi, o DEM, partido no qual é filiado, tem tido uma longa história como vice e raras vezes lançando candidato a prefeito.

Para Marconi, é tempo de mudar essa história e levar o DEM a enfrentar de frente a briga, isto é, lançando candidato a prefeito.

É ainda cedo para se especular, mas se Marconi realmente lançar-se candidato a deputado estadual e depois a prefeito de Biguaçu, o PSD do prefeito Ramon Wollinger ficará numa situação delicada: apoiar seu vice, Vilson Alves (PP), que não esconde de ninguém que é sim pré-candidato a prefeito de Biguaçu em 2020 e já está trabalhando nesse projeto ou irá apoiar o DEM de Marconi Kirch.

Bom! Ainda é cedo. Muita água ainda passará pelo rio Biguaçu até que as peças do tabuleiro da eleição 2020 estejam no lugar para o início da nova partida pelo poder em Biguaçu.

Publicidade