Publicidade

Biguaçu não consta na lista dos 10 municípios com maior número de assassinatos em Santa Catarina em 2017, mas está ao lado de São José, Palhoça e Florianópolis, 5º, 6º e 2º lugares respectivos do citado ranking.

Todos os números não foram divulgados ainda, mas o fato de que Biguaçu poderá ter no futuro a Penitenciária do Estado travestido de “Cadeia Pública nova” na futura Vila Militar a ser instalada no terreno devolvido pela Univali entre o Jardim Marcos Antônio e bairro Fundos pode certamente modificar o quadro.

A avaliação é simples. Onde há penitenciária, sempre surgem favelas e, consequentemente, aumenta o tráfico de drogas.

Por outro lado, segundo os especialistas, os homicídios em sua esmagadora maioria está ligada ao tráfico de droga, disputa por bocas de fumo e rivalidades entre os envolvidos no comércio ilícito de entorpecentes.

Entre 2016 a 2017, houve aumento em 10% no número de homicídio e 70% das vítimas tinham antecedentes criminais, isto é, prisões e outros registros de ilícitos criminais. Outro detalhe interessante: 74% dos autores dos assassinatos identificados pela polícia também possuem antecedentes. Conclusão: a maioria dos assassinatos é cometida por bandidos contra bandidos.

 

COMPARAÇÕES

Segundo a Organização Mundial da Saúde, é considerável “suportável” é o índice de 10 mortes violentes por cada grupo de 100 mil habitantes.

Em 2016, Santa Catarina registrou 12,3 homicídios por 100 mil. Isto estamos falando do “Sul Maravilha”, como se diz na gíria a respeito dos índices sociais do sul em comparação ao restante do país.

No Brasil, são registrados 60 mil assassinatos, índice este comparável a uma guerra do Vietnã (1955-1975), onde 58 mil soldados norte-americanos perderam a vida.

 

 

Publicidade