Publicidade

Um leitor conta que na madrugada de hoje (quinta, 11/01), foram ouvidos tiros na região da Lagoa do Amilton, no bairro Praia João Rosa, em Biguaçu, e que cinco viaturas da Polícia Militar estiveram na região.

No vídeo aqui gravado, foi bem rápido e não se ouvem os tiros. A polícia já tinha chegado e quem atirou sumiu.

Não houve prisões. São se sabe ao certo o que aconteceu. Vale lembrar que a comunidade do Saveiro fica nas proximidades e há grupos rivais de traficantes de drogas que pelo poder na área.

Aliás, o Saveiro é uma comunidade literalmente formada por 99% de gente trabalhadora, honesta e cidadã, mas o percentual de 1%, os traficantes, consegue transformar a região num “barril de pólvora” literalmente.

Não precisamos fazer uma pesquisa aprofundada das mortes, tiros, nomes dos traficantes que entraram, morreram ou fugiram tanto em confrontos contra a polícia como também entre os bandidos mesmos.

O Saveiro é uma comunidade que surgiu no final da década de 1980. Havia uma imobiliária que resolveu aterrar parte de um antigo mangue na região. A Fatma (Fundação Estadual do Meio Ambiente) de Santa Catarina embargou a obra.

Como houve um aterro no mangue, famílias de sem teto aproveitaram a querela entre a imobiliária e a Fatma para invadir o local.

Em resumo bem “resumido”: até que foi julgamento o caso, até que saiu a sentença para que o mangue fosse restaurado, a região foi toda ocupada por centenas de famílias e não teve mais como voltar atrás, isto é, recuperar o antigo mangue local.

E devido aos problemas sociais, principalmente desemprego, o Saveiro abriga traficantes de drogas e o resultado é um literal “barril de pólvora” no meio de um bairro residencial como é a Praia João Rosa, Biguaçu.

 

VIDEO

Publicidade