Publicidade

O PP (Partido Progressista) promoverá, na próxima segunda-feira (26/02), um encontro regional com militantes. Será realizado no auditório da secretaria municipal de educação de Biguaçu, isto é, naquele do Centro Cultural David Crispim Corrêa, ao lado da biblioteca pública.

Conforme o leitor poderá conferir no convite, deverão participar militantes desse partido de Florianópolis, São José, Paulo Lopes, São Pedro de Alcântara, Antônio Carlos, Palhoça e o anfitrião do encontro, Biguaçu.

Numa matemática básica. Foram citadas sete cidades. Se de cada cidade mencionada vieram 10 representantes (apenas 10), ao todo serão 70 os participantes.

O auditório tem seis fileiras com 11 cadeiras. Portanto, sua lotação máxima para público sentado é de apenas 66 pessoas. Infelizmente é um auditório muito, mas muito pequeno. Já é tempo de Biguaçu pensar em viabilizar um novo auditório com capacidade DECENTE de lotação.

 

PENSANDO PEQUENO

Esse auditório foi construído em 1987 na época do final do primeiro mandato do então prefeito Arlindo Corrêa (1927-2010). Na época, Biguaçu era pequeno e achava-se que um auditório para apenas 66 pessoas sentadas seria mais que suficiente. Infelizmente não se pensou que a cidade poderia crescer e precisar de um local de reuniões para público em maior número.

Qual o local em Biguaçu hoje que poderia abrigar uma reunião com mais de mil pessoas? Só o Cepetry (Centro de Eventos Petry). O problema é que custa caro. Para realizar um evento lá, é preciso ser muito importante, com grande público. Do contrário, tem que se virar no minúsculo auditório do Centro Cultural David Crispim Corrêa.

Volta e meia a prefeitura promove uma reunião, um curso, um coquetel, uma palestra ou até mesmo a solenidade de assinatura de posse de algum secretário ou o prefeito que vai gozar as férias passa o cargo para o vice. Em qual local promove o evento? Nesse citado auditório que, não importa o número de pessoas, sempre está “lotado”.

 

SE TIVESSE UM LOCAL MAIOR…

Tempos atrás, o auditório, também chamado de “Educação” porque o Centro Cultural David Crispim Corrêa abriga a sede da secretaria municipal de educação, já foi palco de show musical.

Sim, Jonatas Silva, popular Joe, da banda Primavera nos Dentes, certa vez fez um show junto com Rogerinho (ambos figuras populares da música de Biguaçu e residentes ao redor da praça Nereu Ramos).

O show foi excelente. Infelizmente o fato do auditório ser tão minúsculo acabou inviabilizando novos projetos de promoção de shows musicais.

Se Biguaçu tivesse um auditório PÚBLICO com capacidade maior, a cidade pode começar a ter uma vida cultural. Sim, um auditório maior que abrigue pelo menos umas 200 pessoas com algum conforto viabilizaria apresentação de teatro amador, show de grupos amadores, palestras dos mais diversos assuntos, reuniões das mais diversas agremiações, enfim, o mínimo do mínimo.

Para deixar bem claro. Se o evento foi grande, com expectativa de uma multidão de interessados, o recomendável é promover no Cepetry. Paga-se o aluguel e promova-se o evento.

Agora se o evento for pequeno, para 100, 200 ou não ultrapassando mil pessoas, Biguaçu precisa de um auditório público.

O PP, que promoverá seu encontro na segunda (26/02), está pagando algo pelo uso do auditório da secretaria de educação de Biguaçu? Acho que não. Vários partidos já utilizaram o mesmo espaço. Se alguém quiser promover algum evento com público acima de 10, 20 ou 50 pessoas, também pode reivindicar o local sem ônus.

Portanto, é importante Biguaçu pensar seriamente em construir um novo auditório público, desta vez maior, com mais assentos, enfim, um local democrático para que os cidadãos possam reunir-se para os mais variados eventos sem precisar pagar aluguel ou, se pagar, não ser o olho da cara.

Esperamos ter contribuído para o debate. E sobre o PP, se a reunião desse partido reunindo militantes de sete cidades da Grande Florianópolis, atrair 100 pessoas (apenas 100 pessoas), certamente parte desse público vai ter de acompanhar os discursos e os debates em pé e certamente do lado de fora porque o auditório é, conforme dito e repetido ao longo deste texto, é muito pequeno.

Quando é que a prefeitura de Biguaçu vai ter alguma vergonha na cara e viabilizar a construção de um auditório maior?

 

PP: evento programado. (Foto Divulgação)
Publicidade