Publicidade

Na segunda-feira desta semana (26/03), a assessoria de imprensa da prefeitura de Biguaçu publicou a reportagem intitulada “No dia da água, Prefeitura recebe Consultoria técnica do Comitê de Bacia Hidrográfica.”

Tratava-se da visita de técnicos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) que prestam consultoria para o Comitê (rios) Tijucas-Biguaçu e para a SDS (Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável. Esses técnicos prestam serviços para a elaboração do Plano de Recursos Hídricos das Bacias Hidrográficas dos Rios Tijucas, Biguaçu e Bacias Contíguas (PRH).

Chamou a atenção o seguinte trecho da matéria publicada no site oficial da prefeitura de Biguaçu. Aqui o trecho:

Estudos realizados preveem que o Rio Cubatão, de onde é feita a captação de água que abastece a Grande Florianópolis chegará no seu limite, apresentando a necessidade de se buscar uma alternativa para que a água tratada continue chegando às residências.”

Em seguida, a observação do prefeito Ramon:

Quando há falta de água na Grande Florianópolis, o primeiro lugar a ficar sem o abastecimento da mesma é o nosso município. Uma das alternativas que temos seria a captação e o tratamento das águas do Rio Biguaçu, que acabaria com esse problema”, disse o prefeito Ramon.”

 

QUESTÕES

OK! Se não estivermos enganados, a captação da água que abastece a Grande Florianópolis não vem do poluidíssimo Cubatão, aquele que vem de Santo Amaro da Imperatriz e deságua no mar no município de Palhoça, mas sim de Pilões, uma área montanhosa situada dentro do parque da Serra do Tabuleiro. Trata-se de uma grande nascente de água cristalina, isto é, não poluída. A Casan não precisa investir tanto para limpar a água. Vai quase que direto para a tubulação que, por sua vez, irá abastecer toda a região, inclusive boa parte do perímetro urbano de Biguaçu.

Com o crescimento populacional tanto de São José, Palhoça, Florianópolis e também de Biguaçu, é evidente que Pilões e outras fontes próximas não vão dar conta da demanda. Por isso, Biguaçu terá de contar com fontes próprias de abastecimento e a sugestão é o rio Biguaçu.

O problema é que o nosso rio Biguaçu é um “esgotão”. Quer dizer, os biguaçuenses terão de reclicar água poluída para tomar no futuro?

 

E O AMÂNCIO?

O que chama a atenção é que na matéria em questão não foi mencionado a água do Amâncio, uma grande fonte e de excelente qualidade. Também não mencionaram o reservatório de Saudade.

A questão é: por que não foi mencionada a água do Amâncio e da Saudade? O que pode estar atrás dessa omissão?

Se a alegação for a de que o Amâncio não tem capacidade de abastecer Biguaçu, tudo bem. Agora se a água do Amâncio for levada de duto em direção ao norte da Ilha enquanto que a população de Biguaçu vai ser abastecida com água do poluído rio Biguaçu, aí vai dar problema.

Vale lembrar que a água do Amâncio não é poluída. Só faltava Biguaçu reciclar água de esgoto enquanto sua melhor água será usada para abastecer o norte da Ilha de Santa Catarina. Só faltava essa?!!! Em Biguaçu, coisas absurdas como essa podem acontecer. Por isso, temos de estar sempre alertas!!!

 

NÃO ÀS ESCONDIDAS

Esperamos que na Câmara Municipal de Biguaçu não faltem vereadores que acompanhem as negociações da água, exijam explicações, confiram documentos, enfim, fiquem de olho.

Como o prefeito Ramon costuma não responder protocolos, mesmo sendo perguntas simples como “quanto foi gasto nesta obra?”, “há um projeto ?” etc, desconfia-se que é possível haver reuniões em que se discutirá a questão da água e o prefeito poder assinar acordos sabe-se lá como e, no final, o maior prejudicado será a população de Biguaçu.

A boa, cristalina e excelente água do Amâncio tem de ser para Biguaçu. Se sobrar, que vá atender outras cidades. Acreditamos que os biguaçuenses não vão querer tomar água extraída de esgoto como é o rio Biguaçu só para deixar sua melhor água ser levada para Florianópolis, conforme a suspeita.

Vale lembrar que o JBFoco já chamou a atenção para esse caso. Havíamos lido no jornal Diário Catarinense que havia um plano da Casan para implantar uma rede de dutos com o objetivo de “puxar” a água do Amâncio e levá-la para o norte da ilha, onde há muitos problemas de abastecimento.

Na época, fomos contra. Não é justo Biguaçu ser privado de uma água de qualidade para atender os turistas de Florianópolis.

Esperamos que o prefeito Ramon Wollinger não faça besteira, não assine qualquer acordo e zele pelos interesses do município. Por isso, temos de ficar de olho para depois a cidade não chorar as consequências.

Podemos até ser “biguás”, mas não somos “patos”. Entendido?!

Consultoria técnica do Comitê de Bacia Hidrográfica esteve em Biguaçu na última quinta-feira (Foto Eduardo Pauli – DICOM PMB

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.

bit.ly/WhatsJBFoco

Publicidade