Publicidade

O prefeito Ramon Wollinger (PSD) não esconde o descontentamento com o vereador Douglas Borba (PP).

É que nessa semana em reportagem de capa o JBFoco revelou a articulação de Borba para montar uma terceira via para as eleições municipais de 2020. Douglas se grudou no candidato a governador do PSL e caso este tenha êxito na disputa de segundo turno contra o correligionário do prefeito, começa a pavimentar sua candidatura a prefeito para o próximo pleito municipal discursando a mudança.

FIM DAS PROPINAS

Bolsonaro a presidente e coronel Moisés a governador, defendem o fim das propinas que fazem com que o patrimônio de prefeitos corruptos cresçam sem com que as contas dos valores de salários fecham com essas aquisições.

G20

Mesmo com a caneta na mão estar junto de Wollinger nas eleições municipais vai ser duro de roer. Tanto é verdade que o G20, grupo que quer se perpetuar no poder durante 20 anos em Biguaçu, já percebeu isso e quer que Gelson Merísio (PSD) vença para mandar o Ramon para um cargo num possível governo do PSD lá em Florianópolis.

Assim tirava o Ramon das negociações políticas até 2020, dava a caneta para o Vilson, que é o vice-prefeito de Biguaçu, administrar a cidade e com isso articular sua candidatura a prefeito e ficava longe de ter quer carregar a gestão Ramon, que renunciaria a prefeitura, numa disputa eleitoral, que é mais pesada que elefante brabo.

Existia nisso tudo um único inconveniente mas agora parece ter dois. Ramon aceitaria tudo isso. Claro que em troca de um cargo com salário muito maior que ele recebe hoje na prefeitura e com a manutenção de sua irmã em emprego comissionado de primeiro escalão na “barrosa” de Biguaçu para fazer com que Karoline Wollinger continue com o seu salário na folha de pagamento.

Nos bastidores comenta-se que manter a irmã do prefeito na ausência dele é dose pra cachorro, por que é nítida a incompetência administrativa dela na função pública. Wollinger só está lá hoje porque é irmã do prefeito.

FATOR DOUGLAS

Vilson Alves: ser prefeito pode  até acontecer, o duro vai ser engolir a irmã do prefeito numa gestão sua. (Foto Arquivo JBFoco)

 

Ramon: condições para renunciar a prefeitura. Irmã continua na gestão e salário alto no estado. (Foto Arquivo JBFoco)

 

Bolsonaro e Moisés: onda do PSL quer acabar também com prefeitos corruptos. (Foto Arquivo JBFoco)

 

Se Merísio conquistar o governo do estado, o G20 de Biguaçu quer empurrar o prefeito de Biguaçu para um emprego no estado. Com salário alto é claro. (Foto Guto Kuerten)

 

Agora além do problema “irmazinhã do prefeito”, vem o fator Douglas. Segundo comentou um membro da prefeitura que pediu o anonimato, tudo leva a crer que uma “onda Douglas” pode incomodar o G20.

A tendência da onda Bolsonaro é chegar também nas eleições municipais daqui a 2 anos. “O Vilson e Ramon vão acabar se afogando juntos na onda também”, brinca a fonte.

E complementa que no balaio da prefeitura “é cobra picando escorpião e vice-versa”. Independente de Douglas ou não, o que é preciso é acabar com a velha política de Biguaçu de uma vez por todas. Existe um bocado de cidade no estado que não cresce, só aumenta são os patrimônios de políticos.

A onda Bolsonaro e Moisés é muito bem-vinda.

 

AVISO

Receba gratuitamente notícias da comarca de Biguaçu em seu whatsapp. Clique no link abaixo, adicione nosso número (4898484-7539) e dê um OK.
bit.ly/WhatsJBFoco

Publicidade