Publicidade

A secretaria de governo, Karoline wollinger, irmã do prefeito Ramon, só pode estar debochando do povo de Biguaçu.

Só nestes primeiros quatro meses de 2019, ela gastou R$ 130 mil reais em publicidade.  Na matéria de capa dessa edição, o JBFOCO faz um levantamento do uso de verba pública com mídia feita de modo irresponsável e direcionado. Inclusive isso já chamou a atenção de vereadores da cidade, que ficaram indignados com a falta de transparência no uso desse dinheiro. Confira na página 3 desta edição.

 

Karoline Wollinger: haja deboche no gasto descontrole e sabe-se lá em quê em publicidadade. (Foto Divulgação)

 

A Farra Debochada de Ramon e de sua irmã Karoline

 

Karoline Wollinger e seu irmão Ramon. Ao ocupar a chefia de gabinete, Karoline deixa seu irmão na mesma situação da ex-prefeita de Jaraguá do Sul, que nomeou a filha para o mesmo cargo e acabou de “lascar-se” na justiça. (Foto Arquivo JBFoco)

 

Virou literal deboche. A irmã do prefeito Ramon, Karoline Wollinger, secretária de governo da prefeitura de Biguaçu, está fazendo a festa do deboche total.

Se não bastasse os gastos altíssimos em publicidade dos anos anteriores, fato este que levou ao vereador Salmir da Silva (MDB) a questionar e exigir inclusive detalhes de onde o dinheiro foi aplicado, Karoline já gastou, nos primeiros quatro meses de 2019, R$ 130 mil, em…publicidade.

O que tanto o governo dos irmãos Wollinger tem a divulgar de obras para as quais necessitam investir tanto em publicidade?

Certamente não é no setor da saúde. Qualquer propaganda afirmando que a “saúde em Biguaçu está às mil maravilhas”, certamente será considerada “deboche” para a maioria dos munícipes.

Mas a questão é: com notórios problemas na cidade, o que tanto Ramon e sua irmã Karoline gastam com publicidade? Querem divulgar o quê?

Não é crime nem ilegalidade gastar em publicidade, mas na atual gestão da prefeitura de Biguaçu, falta justamente transparência.

Não adianta colocar no painel do “Portal da Transparência” do site oficial da prefeitura de Biguaçu que foram gastos R$ 130 mil, R$ 500 mil, R$ 1 milhão etc. É preciso especificar os dados- onde, quando e em que foram gastos. Qual publicidade? Em que veículos foram inseridos? Veiculação em TV? Quem fez as filmagens? Em que horário foi veiculado? Etc.

Essas informações não aparecem ou estão pela metade. Aliás, relembrando: o vereador Salmir da Silva (MDB) teve de exigir da secretária de governo, Karoline, um relatório especificando em que jornais, rádios, sites e televisões o dinheiro de publicidade foi gasto, pois simplesmente não havia tais informações.

Falta de transparência. Esta é a marca da família Wollinger na prefeitura de Biguaçu.

Em primeiro lugar, é uma situação esdrúxula. Em Jaraguá do Sul e Araquari, dois municípios do norte do estado de Santa Catarina, prefeitos locais, que haviam nomeando irmãos para ocupar cargos comissionados nas prefeituras, tiveram de demiti-los e, no caso de Jaraguá, a coisa foi mais grave. A ex-prefeita que tinha nomeado irmã, marido e filho, foi condenada com pesada multa pelo ato.

Mas o interessante é que aqui em Biguaçu, essa lei do nepotismo não tem validade alguma. Ramon continua mantendo a irmã no cargo de secretária e nada acontece.

E a farra continua. A saúde de Biguaçu não vai bem. Faltam remédios em certos postos. Não faltam reclamações da população.

Mas os irmãos Wollinger vivem na sua redoma de vidro, embebecidos do poder e fazendo jus à interessante frase do antigo presidente dos EUA, Abraham Lincoln (1809-1865): “se quiser pôr à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder”.

 

 

https://chat.whatsapp.com/CwLeRbK861A1Ks6fButk29

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio carlos, Governador Celso Ramos e região

Publicidade