Publicidade

Transcrevemos o artigo publicado em 18 de dezembro de 2017 que continua mais que atual. Aqui vai:

Quem informa, amigo de Biguaçu é. Faltam dois ex-prefeitos de Biguaçu para completar a galeria de fotos de ex-administradores do município desde 1894 até os dias de hoje. Os dois nomes faltantes são: 1) Fábio Tolentino Faria e 2) Leonardo Jorge de Campos Jr.

Em abril de 1995, o jornal Biguaçu em Foco tomou a iniciativa de tomar adiante uma pesquisa que, naquele ano, havia sido começado pela então diretora da biblioteca pública da cidade, Rosângela Peixer.

Ela decidiu procurar fotos de ex-prefeitos para fazer uma galeria. Reuniu vários e os estampou numa das paredes da própria sede da biblioteca, no Centro Cultural David Crispim Corrêa, no centro da cidade.

No entanto, faltavam alguns nomes e o jornal Biguaçu em Foco tomou a iniciativa de prosseguir a pesquisa em busca das fotos.

E o resultado foi a edição de abril de 1995 (nº 21) do jornal Biguaçu em Foco, na época circulando mensalmente.

Galeria de prefeitos de Biguaçu. (Foto JBFoco)

DIFICULDADES

Baseando-me no livro “História do Município de Biguaçu” (1988), de autoria do falecido historiador Iaponan Soares (1936-2012), fiz uma lista dos nomes que constavam na obra.

Segundo Iaponan, quando o então prefeito Coronel Teixeira de Oliveira (hoje nome da rua que liga a Praça Nereu Ramos com a BR-101) faleceu em abril de 1918, foi substituído pelo presidente da Câmara de Vereadores (na época chamada de “conselho municipal), Fábio Tolentino Lisboa.

Virei mundos e fundos, mas não consegui esta foto. Vale lembrar que o citado Fábio Tolentino governou Biguaçu durante nove meses, de abril a dezembro de 1918, até que assumiu José Augusto de Faria, que passou a ser prefeito a partir de 1919.

No entanto, em março de 1925, José Augusto renunciou ao cargo alegando haver fixado residência em Florianópolis. Em seu lugar, assumiu em seu lugar o presidente do conselho municipal (câmara de vereadores), Tomaz Celestino de Souza.

 

FOTO

Em setembro ou outubro de 1996, foi inaugurada a galeria de ex-prefeitos no hall de entrada da sede da prefeitura municipal de Biguaçu. A iniciativa desse trabalho foi da historiador Ana Lúcia Coutinho e da fotógrafa Catarina Rüdiger.

No entanto, também não conseguiram a foto de Fábio Tolentino Lisboa, mas tomaram uma decisão no mínimo polêmica. Decidiram simplesmente “eliminar” Fábio Tolentino Lisboa dessa galeria, ou seja, ao invés de colocar um quadro informando que este administrou a cidade entre abril a dezembro de 1918 e informar que não foi encontrada foto do mesmo, a equipe liderada por Ana Lúcia e Catarina decidiu simplesmente não incluí-lo nem informar de sua existência, mesmo havendo o registro no livro de Iaponan Soares.

Seria o mesmo que tirar da galeria Ivo Delagnelo, que assumiu como prefeito entre abril a dezembro de 2008 depois da renúncia do então prefeito Vilmar Astrogildo Tuta de Souza, que teve de sair do cargo para candidatar-se a vereador na eleição de outubro de 2008.

Por menor que tenha sido o mandato ou que toi “tampão”, não deixa de ser “ex-prefeito”.

 

DESCOBERTA

Certa vez, o jornalista Ozias Alves Jr, visitando o arquivo público de Biguaçu, teve acesso a um documento que foi recuperado do bolor e umidade. Era um dos papéis que, em 1993, encontravam-se no pátio da secretaria municipal de obras da prefeitura de Biguaçu ao sabor da chuva e do sol.

O então prefeito Sadi Peixoto (PMDB), que havia assumido a prefeitura em janeiro de 1993, mandou recolher tais papéis vergonhosamente jogados ao relento e assim surgiu o Arquivo Público de Biguaçu.

César, administrador do arquivo, disse-me que havia encontrado um “papel interessante”. Realmente informava um dado inédito que eu nem mesmo sabia antes de lê-lo.

Nesse documento, li o nome de Leonardo Jorge de Campos Jr.

 

QUEM ERA LEONARDO JORGE DE CAMPOS JR?

Na galeria de ex-prefeitos de Biguaçu na sede da prefeitura, não há menção nem foto de “Leonardo Jorge de Campos Jr”. Também seu nome não consta no livro “História do Município de Biguaçu” (1988), de Iaponan Soares.

Mas seu nome consta na cópia da lei municipal nº 144, datada de 7 de junho de 1924. Trata-se da lei que autoriza a prefeitura de Biguaçu a contratar empresa para instalar o serviço de eletricidade no município. No documento, está escrito: “Coronel Leonardo Jorge de Campos Júnior, Superintendente Municipal  Substituto em exercício”.

Sendo “Superintentente Municipal Substituto” (equivalente a “prefeito interino”), então foi nomeado por causa de alguma emergência. Esta certamente foi a renúncia do prefeito eleito José Augusto de Faria, que foi substituído pelo presidente da Câmara, Tomaz Celestino de Souza.

O problema é a data. Diz Iaponan Soares que José Augusto renunciou em março de 1925, mas a lei assinada por Leonardo Jorge de Campos Jr data de junho de 1924.

Das duas uma: a data está errada ou, em 1924, houve algum problema que levou Leonardo Jorge a assumir a prefeitura de Biguaçu interinamente até que José Augusto retornasse para, mais tarde, em março de 1925, renunciar ao cargo definitivamente.

Como Leonardo Jorge de Campos Jr assumiu “interinamente” a prefeitura de Biguaçu? Quem o nomeou? Por quê? Por quanto tempo ficou no cargo? Eis o mistério.

 

PESQUISA

Prefeito Ramon Wollinger. Preservar a memória da cidade também é um atributo da prefeitura de Biguaçu.

Sugiro que entre em contato com a Academia de Letras de Biguaçu, principalmente com o historiador, profº Joaquim Gonçalves dos Santos, e forme uma equipe para investigar essa informação.

Os objetivos dessa comissão seriam:

 

  • Tentar encontrar uma foto de Fábio Tolentino Lisboa. Quem sabe netos ou bisnetos desse homem vivam em Florianópolis. A foto tem de constar na galeria de ex-prefeitos. Não podemos ignorar que esse homem, que administrou Biguaçu durante nove meses de 1918, seja simplesmente ignorado.
  • Tentar encontrar também alguma foto de Leonardo Jorge de Campos Jr, o Superintentente Municipal Substituto e alguma documentação no arquivo do Governo do Estado de Santa Catarina que esclareça como e quando esse homem foi designado para assumir a prefeitura de Biguaçu em 1924.
  • Encontrar documentos que esclareçam o que aconteceu nesse período entre 1918 a 1925.

 

O prefeito Ramon pode e deveria reservar alguma verba para ajudar a equipe a dedicar-se a esta pesquisa.

Essa galeria tem de estar correta e completa para servir de informações aos estudantes.

Espero ter contribuído para o debate e para a preservação da memória municipal de Biguaçu”.

 

DIVULGAÇÃO

Conforme disse no início, este artigo publicado quase dois anos atrás continua muito atual.

Registro mais uma sugestão: por que a prefeitura de Biguaçu, em seu site oficial, não publica um pedido à comunidade para tentar descobrir quem possa ter alguma foto de 1) Fábio Tolentino Faria e 2) Leonardo Jorge de Campos Jr?

Talvez familiares deles morem na Grande Florianópolis e possam ajudar a completar a galeria dos ex-prefeitos da prefeitura de Biguaçu.

Por que não entrar em contato com alguma TV para que seja gravada alguma reportagem com o objetivo de solicitar a colaboração comunitária para encontrar fotos e informações sobre os dois citados ex-prefeitos de Biguaçu?

Quem sabe com essa divulgação possamos encontrar as fotos deles.

Vamos à luta.

A propósito, se algum leitor que tiver acesso a este texto e saiba onde pode-se encontrar fotos dos ex-prefeitos Fábio Faria e Leonardo Campos Jr (se não for neto ou bisneto deles), entre em contato com este jornal pelo e-mail reportagemjbfoco@gmail.com.br.

Estamos inaugurando uma campanha no JBFoco a partir de hoje em busca das fotos dos dois ex-prefeitos. Quem sabe, fazendo uma divulgação maciça, possamos resgatar e arrumar a galeria de ex-prefeitos de Biguaçu.

 

Ozias Alves Jr (Editor)

E-mail: reportagemjbfoco@gmail.com.

 

https://chat.whatsapp.com/CwLeRbK861A1Ks6fButk29

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade