Publicidade

Devido a tantas reclamações com relação a interrupções no abastecimento de água, a Casan (Companhia Catarinense de Água e Saneamento) informa que pretende construir uma estação de tratamento com água do rio Biguaçu para abastecer a cidade.

Nada contra. Pelo contrário. É fato que a cidade de Biguaçu não pode mais depender única e exclusivamente da água oriunda de Pilões, entre Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz. Vale lembrar que é desse complexo de Pilões, que, se eu não estiver enganado, fica no parque estadual da Serra do Tabuleiro, de onde vem a água que abastece Palhoça, São José, a capital Florianópolis e Biguaçu.

 

RIO BIGUAÇU POLUÍDO

Mas espera aí. Pilões é um reservatório em cima de um morro. É água cristalina que sai do morro. Se ninguém me provar o contrário, não é um rio onde se despeja esgoto. O tratamento da água de Pilões é rápido porque a fonte é limpa e não tem contaminação por esgoto doméstico.

Pensar não ofende, mas o rio Biguaçu é infelizmente um “esgotão”. Recebe todo o esgoto de Antônio Carlos e de todo o município de Biguaçu. Além disso, é um “depósito” de vasilhames de agrotóxicos jogados por agricultores irresponsáveis. Os vasilhames acabam parando no mangue da foz do rio Biguaçu, conforme reportagem do JBFoco já publicou a respeito.

Ué, Biguaçu passará a receber água tratada do “esgoto” rio Biguaçu. E a água de Pilões? Não vamos receber mais?

 

 

QUESTIONAMENTOS

Essa notícia é muito estranha. Por que fazer um reservatório com água do rio Biguaçu se existe o manancial do Amâncio e o reservatório desativado da Saudade?

Biguaçu tem de ficar esperto. Só faltava a Casan fazer um reservatório para abastecer a cidade com água extraída do poluído rio Biguaçu e usar o reservatório da Amâncio para levar a excelente água daquela região da zona rural de Biguaçu através de duto para abastecer o norte da ilha (Florianópolis). Será que é delírio da minha cabeça?

Não faz muitos anos que li na coluna do Moacir Pereira, no Diário Catarinense, o plano da Casan de puxar a água do Amâncio para abastecer o norte da ilha.

Quem não garante que, ao fazer o reservatório do rio Biguaçu para encerrar as constantes interrupções do abastecimento da cidade, usando água sabe-se lá de que qualidade, não será um subterfúgio para “pegar” a água do Amâncio para Florianópolis?

Não sei, mas temos de ficar de olho.

É fácil pegar água do rio Biguaçu, a fonte mais “caudalosa”. Mas o ideal seria captar água de fontes não poluídas, de morros, além do próprio Amâncio. Porém construir vários pequenos reservatórios sai mais caro do que ter um único reservatória, mas com grande volume d´água.

O problema é ter de começar a reciclar esgoto para ter água em casa.

 

CONCLUSÃO

É verdade que em São Paulo, devido à enorme população concentrada na região, a companhia de água local faz reciclagem de esgoto, mas Biguaçu não precisa disso. Não precisamos estar reciclando esgoto do rio Biguaçu para ter água.

Esta matéria é uma advertência. Temos de ficar de olho. A câmara de vereadores não pode deixar de investigar todos os detalhes do plano. Não podemos ser tapeados. Vejam o que aconteceu com Biguaçu em 1991 com a história do lixo. Acabaram enfiando de goela abaixo um enorme aterro de lixo dentro da cidade, o que gerou muita polêmica.

Com a água, não podemos ser amadores. Precisamos evitar decepções, problemas futuros.

Espero ter contribuído para o debate e para que Biguaçu não pague o pato. Podemos ser até “biguás”, mas não somos patos. Pelo menos, temos de ficar espertos para não sermos tapeados. Chega de enrolação, tapeação, erros estratégicos. Chega disso!!!

Rio Biguaçu. (Foto Arquivo JBFoco)
Rio Biguaçu. (Foto Arquivo JBFoco)

 

https://chat.whatsapp.com/Lt0gdEGjQiYAvavsWLeuTf

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade