Publicidade

Um cara bilionário do Vale do Silício, Califórnia, berço da indústria da computação, chamado Sam Altman, fez a seguinte “maluquice”: pagou R$ 32,9 milhões para que, depois de morto, seu cérebro fique conectado a um computador.

A ideia é a seguinte: a possibilidade de se alcançar a “Vida Eterna” através do cérebro conectado a um computador.

A empresa Nectome acredita que será possível no futuro conectar o cérebro a um HD de computador, isto é, as lembranças de toda uma vida poder ser “downloadizada” para algum HD. Depois é reenviar o “arquivo” a um cérebro de alguém morto. Entendeu o troço?

Sam acredita nessa ideia e colocou seu cérebro para a experiência, além de investir milhões na empresa Nectome para seguir pesquisas a respeito.

 

Cérebro conectado. (Foto  aytuguluturk por Pixabay)

 

Jornais em Foco – Segunda-feira (09/12/2019)

Publicidade