Publicidade

O que vocês conhecem do país Arábia Saudita, além da informação que é o maior exportador de petróleo do mundo?

Certamente nada. Não sabemos nada da língua deles. Aqui no Brasil não assistimos filmes da Arábia Saudita, nem temos notícias em nossos jornais mais detalhadas sobre o dia-a-dia daquele país. Não temos livros traduzidos da literatura daquele país, enfim nada, absolutamente nada.

Mas por que estamos falando da Arábia Saudita? Para registrar uma história que 99,9999999999999999% dos brasileiros certamente desconhecem. É uma história literalmente meio “maluca”, mas aconteceu e dela não temos a mínima ideia. Vamos lá.

Faisal bin Abdulaziz Al Saud (1906-1975), um dos filhos do primeiro rei daquele país, Abdalaziz Abd al-Aziz Al Saud (1880-1953), ou simplesmente, “Ibn Saud”, assumiu o trono em 1964 e, no ano seguinte, anunciou a instalação da primeira estação de televisão naquele país.

Por incrível que pareça, parte da população daquele país revoltou-se. A Arábia Saudita é um país religiosíssimo, seguidor fiel do islamismo e via a televisão como uma péssima influência. A ideia era que o país tinha de viver tal como era no século VII d.C, quando viveu o profeta Maomé.

Nos protestos que foram organizados naquele país no ano de 1965, um membro da família real, Khaled bin Musaid, acabou morto pela polícia quando o grupo dele tentou invadir uma estação de TV. O policial que o matou não sabia que se tratava de um VIP (Very Important Person- Pessoa Muito Importante).

Mas Faisal era rei, decidiu que a Arábia Saudita teria televisão, que isso não abalaria a fé islâmica e, aos poucos, os protestos encerraram.

Mas o irmão do morto do protesto de 1965 contra a instalação da televisão ficou com raiva. Seu nome era Faisal bin Musaid al Saud, sobrinho do rei Faisal, pois era filho do meio-irmão deste último.

Dez anos passaram-se e a data era 25 de março de 1975. O rei Faisal estava numa “Majilis” (trad.: “um lugar para sentar”), uma espécie de audiência que o rei concede a nobres que podem aparecer, sentar-se e apresentar suas petições.

O sobrinho veio e foi recebido pelo rei Faisal. Este foi inclinar-se para dar o costumeiro beijo no rosto quando o sobrinho sacou uma pistola e atirou no rei. Foram dois tiros- um no queixo e outro na orelha do Rei, antes que o guarda atingisse o agressor com uma espadada.

Faisal foi levado às pressas ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Morreu.

O motivo do ataque: o fato de Faisal ter autorizado a instalação de estações de televisão naquele país. Sim, o sobrinho matou o tio/rei só porque este implantou a televisão na Arábia Saudita.

O assassino teria um fim trágico. Em 26 de março daquele ano de 1975, Faisal bin Musaid seria executado decapitado pelo crime de regicídio (por matar o rei).

 

Rei Faisal bin Saud (1906-1975) morreu por causa da televisão. (Foto Reprodução You Tube)

 

Jornais em Foco – Sexta-feira (06/12/2019)

Publicidade