Publicidade

O secretário adjunto da Casa Civil do governo do estado de Santa Catarina, Matheus Hoffmann, ficou p. da cara semana passada quando a vereadora Salete Cardoso divulgou postagem em que afirmava uma suposta “falta de apoio” ao hospital de Biguaçu, ou seja, que o governo do Estado teoricamente não estaria repassando verbas para o hospital em questão.

Matheus ficou indignado com a tal nota e respondeu dizendo que Salete espalhava “Fake News” e não poupou críticas ao senador Jorginho Melo, o “guru” da citada vereadora.

Houve quem pedisse a cabeça de Matheus, que fosse demitido etc e tal por ter atacado o senador Jorginho Melo e chamado de “mentirosa” a vereadora Salete Cardoso.

Matheus observou que não retira o que disse, pois, segundo ele, suas declarações estão baseadas em documentos que comprovam os repasses do governo do governo do Estado ao hospital de Biguaçu.

Há o princípio segundo o qual diante da Verdade, não há calúnia e difamação.

Se Salete sabia ou não dos repasses, não sabemos, mas o fato é que a vereadora, chamada de “mentirosa” e “espalhadora de Fake News”, encontra-se numa dilema ético.

Se não sabia dos repasses, ela tinha de ter feito uma pesquisa prévia antes de atacar direta ou indiretamente o governo do Estado, o que provocou a indignação de Matheus, e, indiretamente, atacar o ex-vereador Douglas Borba, hoje secretário de Estado da Casa Civil de Santa Catarina.

Se ela sabia dos repasses, aí configura-se a má fé dela ao tentar manipular a opinião pública com “mentiras”, caso ela não provar o contrário.

Ninguém aqui está defendendo Matheus Hoffmann e o governo do Estado, mas são dos pequenos atos que desnudam o caráter de uma pessoa. Se Salete realmente sabia dos repasses e, mesmo assim, resolveu prosseguir nos ataques espalhando “Fake News” afirmando que o governo do Estado não repassou verbas, o que contraria os documentos que Matheus aqui apresenta, aí ela demonstra bem o seu caráter problemático.

Salete deve explicações. Mas não brinque com a nossa inteligência. Apresente fatos concretos e não venha com invencionices do tipo “querer vencer pelo grito” quando a razão e os fatos concretos não lhe dão suporte.

 

Matheus Hoffmann. (Foto Arquivo JBFoco)

 

DOCUMENTOS

 

Aqui os documentos apresentados por Matheus:

 

Repasse de R$ 720 mil em outubro do ano passado para o Hospital de Biguaçu. (Foto Reprodução)

 

 

 

Convênio entre Governo do Estado e Hospital de Biguaçu. (Foto Reprodução)

 

Repasse em novembro de 2019. (Foto Reprodução)

 

SC Transferências. (Foto Reprodução)

PDFs

 

Convênio entre Governo do Estado e Hospital de Biguaçu PDF

 

Extrato. PDF

 

SC Transferências. PDF

 

https://chat.whatsapp.com/FPjwOITgOdo9LQnZAJprNs

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade