Publicidade

O leitor se lembrar do caso da acusação de “estupro” movida por uma certa Najila Trindade contra o jogador Neymar?

O caso ocorreu em maio de 2019 em Paris. A modelo Najila acusou Neymar de tê-la estuprado num hotel da capital francesa e, para comprovar sua acusação, alegou que tinha um vídeo do ocorrido.

No entanto, depois de toda a repercussão na mídia, a modelo alegou que seu apartamento havia sido “arrombado” e o tablet onde estaria o tal vídeo “comprovatório” desaparecido.

O interessante foi que a polícia não encontrou qualquer indício de haver sido arrombado o dito apartamento.

A principal prova que ela alegava haver simplesmente não foi encontrada e a suspeita era que tudo não passava de uma total lorota.

Final da história: nada ficou comprovado, Neymar não foi indiciado e Najila responde agora por “denunciação caluniosa”.

Mas o que o caso Najila pode ser comparado ao do “atrapalhado” “coordenador de campanha” de Daniel Luz, Thiago Ferreira, pivô da atrapalhada eleição cuja história está sendo divulgada em detalhes nesta edição?

 

Najila Trindade e Neymar. (Foto Google Images)

 

No centro da confusão: Daniel Luz e Thiago Ferreira. (Foto Divulgação)

ÁUDIO

Depois que vazou os áudios nos quais Thiago andou falando besteira, o mesmo veio a público, através de um vídeo no facebook, pedir “desculpas” a Daniel.

Disse Thiago: “Há três meses atrás, mandei um infeliz áudio na tentativa de acertar e tentar ajudar sem que o pré-candidato soubesse. Ele (Daniel) não sabia de nada.”

Em seguida, veio com essa “pérola”: “Esse áudio vazou num contexto geral. Não escutaram o restante dos áudios. Infelizmente eu não tenho o restante (dos áudios) para mostrar, mas tenho a minha palavra que vale muito.”

O quê???? Vejam só o que o cara quis argumentar: o que foi divulgado era apenas uma parte de um arquivo maior e, como conclusão lógica, quem divulgou o arquivo só selecionou a parte em que Thiago negocia com o cabo eleitoral prometendo o “Paraíso” se Daniel chegasse a prefeito de Biguaçu.

Tal como Najila, que afirmava ter “o vídeo” que comprovava que ela fora “estuprada” por Neymar em Paris, mas, diante da insistência da polícia em ver essa prova, ela veio com a desculpa do arrombamento de seu apartamento, Thiago quer vender a história de que ele mesmo não tem mais o “restante dos áudios” que comprovam sua “inocência”?

O quê??? O cara faz toda uma negociação proibida pela legislação eleitoral e deixa bem claro que irá transformar a prefeitura num “balcão de negócio” e vem com esse argumento “Najila” finalizando que “tenho a minha palavra que vale muito”. O quê? Sua palavra vale muito???? Está de gozação, mermão?!!! Está brincando com a nossa inteligência tal como a Najila????

E Thiago, depois com a sua “pérola” de que “tenho a minha palavra que vale muito”, vem com mais essa: “Mas uma vez, reforço: sou homem.”

O Ney Matogrosso cantava “Sou homem com h” e, por mais que repetia ad nauseam o refrão, não convencia muito tal como também antigamente havia a suspeita de que mulher que dizia ser “séria, muito séria” e enfatizava isso a todo instante, era sinal de que tinha algo estranho aí.

Thiago. Não fica dizendo que você é “homem”. Homem que é homem com “h” assume o que faz e não fica brincando com a nossa inteligência.

Quem muito insiste em negar o “Óbvio Ululante”, na verdade, não sabe onde esconder a covardia e isso infelizmente é muito feio.

 

 

Ozias Alves Jr (Editor)

E-mail: reportagemjbfoco@gmail.com

 

LINKS

 

(VÍDEO) Funcionário é flagrado negociando com cabo eleitoral para apoiar Daniel Luz

 

Daniel Luz: Se você “quase fez BO contra Thiago”, por que não o processou?

 

https://chat.whatsapp.com/IG6sLw6aHO5CjRXeBtSCkM

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade