Publicidade

O jornal Notícias do Dia publicou nesta semana reportagem questionando a completa falta de transparência em verbas destinadas à manutenção tanto da Casa da Agronômica, residência oficial do governador Carlos Moisés da Silva, quanto da casa da vice-governadora, Daniela Reinehr, no bairro Itaguaçu, no lado continental de Florianópolis.

Desta vez o biguaçuense, Matheus Hoffmann, está no centro da nova confusão envolvendo dinheiro público. Pois vejamos.

O Jornal Notícias do Dia questionou que, no Portal da Transparência, está informado que R$ 1,1 milhão em “verbas especiais” foi gasto até ano passado. Porém não estava especificado no quê. Afinal de contas, que gastos foram estes?

A equipe de reportagem do citado jornal foi em cima e descobriu que esse montante foi gasto na “manutenção” das duas residências.

Bom! Em primeiro lugar, R$ 1,1 milhão é muito dinheiro. Vale lembrar que a Casa da Agronômica e a casa da vice-governadora não são imóveis abandonados. Pelo contrário. Quando o atual governador e sua vice assumiram os cargos, esses imóveis estavam lá e muito bem arrumados. É verdade que tem uma equipe de funcionários de manutenção, mas eles já não são pagos pelo erário público? Pelo que se sabe, o dinheiro é para gastos “extras” tipo trocar a maçaneta que quebrou, arrumar a parede que rachou etc.

A questão é: em que o montante de R$ 1,1 milhão foi gasto? O grande problema é que essas informações não estão disponíveis, segundo o ND, no Portal da Transparência.

Por exemplo, foi comprado um aparelho de cortar grama. No Portal, era para estar o valor, o local onde foi comprado, a data da aquisição da máquina e, se possível, inclusive, a foto do aparelho, pois a tecnologia permite isso.

Essas informações não constam. Apesar que foi gasto o montante de R$ 1,1 milhão e mais nada. Não há qualquer especificação detalhada dos gastos.

 

MATHEUS

De acordo com a reportagem do ND, quatro servidores da Casa Civil são os responsáveis pela administração desse dinheiro da manutenção das duas casas oficiais do governador e da vice.

Entre os quatro, consta o nome do então secretário adjunto da Casa Civil, Matheus Hoffmann, de Biguaçu.

Com a exoneração e prisão em junho passado do então ex-secretário da Casa Civil, Douglas Borba, Matheus acabou pedindo as contas e saindo do cargo.

 

“BATATA QUENTE”

Matheus foi convidado pelo então vereador licenciado de Biguaçu, Douglas Borba, a assumir o cargo de secretário adjunto da Casa Civil.

Seu salário era de R$ 10.171,79, que recebeu entre janeiro de 2019 a junho de 2020. Por outro lado, Matheus era “conselheiro” da Casan e Ciasc.

Uma vez por mês, Matheus era obrigado a participar de uma reunião para discutir alguns assuntos da Casan e Ciasc respectivamente e, por isso, tinha um acréscimo de R$ 7.500,00 no salário.

Até aí, tudo certo. Matheus recebia R$ 17,6 mil por mês por serviços de sua função.

Agora é que vem a “batata quente” descoberta pelo jornal Notícias do Dia. Do montante de R$ 1,1 milhão, Matheus recebeu R$ 109,9 mil que ficaram sob sua responsabilidade para gastos nas residências oficiais.

A questão é simples: em que esse dinheiro foi gasto? Onde estão as notas fiscais das despesas referentes a esses gastos? O que foi comprado com esse dinheiro? Que serviços foram pagos?

Se porventura, conforme salientou o jornal ND, essa contabilidade não for apresentada nos mínimos detalhes, aí a coisa vira a famosa “Batata Quente”.

Se já não bastasse o escândalo dos respiradores, que arruinou a carreira política de Douglas Borba, o governador Carlos Moisés está sendo questionado a respeito de quais despesas foram feitas e que teriam custado R$ 1,1 milhão.

Ninguém aqui está afirmando que há irregularidades, mas os gastos com as devidas notas fiscais e, se for o caso, verificando-se que alguns dos produtos realmente estão no estoque, têm de aparecer.

Como não houve transparência e um escândalo inacreditável em cima dos respiradores, a coisa precisa ser esclarecida e investigada doa a quem doer.

 

Matheus Hoffmann, ex-secretário adjunto da Casa Civil. (Foto Arquivo JBFoco)

 

https://chat.whatsapp.com/IG6sLw6aHO5CjRXeBtSCkM

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.

 

 

Publicidade