Publicidade

Aos poucos vai se visualizando como ficará a base governista na câmara de vereadores de Biguaçu.

O prefeito eleito Salmir Silva (MDB) elegeu 7 vereadores de sua base. No entanto, para governar precisará de maioria simples (8 vereadores dos 15 eleitos) e em alguns caso 2/3 de apoio do legislativo municipal. Já que Silva tem 7 é normal buscar outros 3 do lado oposto.

E por causa de sua popularidade e confiança depositada por mais de 14 mil votos nas urnas a busca desse apoio já começa a se definir. Até porque em janeiro já terá eleições para presidência da câmara e o governo não quer perder essa eleição.

Dois vereadores (sem ser do MDB e PODEMOS, é claro) já estão praticamente fechados com Salmir e um terceiro pode ser o novanto Luan Pereira, que se elegeu no PSL com mais de 1.000 votos.

Tudo indica que Pereira, filho do atual vereador Bilico (PP), poderá compor a base do governo na câmara municipal.

Dias antes do pleito municipal, era normal ver Bilico pedindo votos para vereador ao filho Luan e para prefeito Salmir.

Já na oposição, Salete Cardoso (PL) tenta compor uma base para ocupar a presidência da câmara municipal. Desesperada com a perda de cargos dentro da prefeitura de Biguaçu por causa da derrota de seu candidato a prefeito, Cardoso tenta colocar água no chope do novo gestor para poder barganhar espaço.

Pelo jeito, a água no chopp secou.

 

 

Luan Pereira (PSL) poderá compor a base do governo Salmir (MDB). (Foto Arquivo JBFoco)
Salete Cardoso (PL): agora sem cargos dentro da prefeitura, tenta articular presidência da câmara para barganhar espaço na nova gestão. (Foto Arquivo JBFoco)
Salmir Silva (MDB): novo prefeito busca maioria na câmara municipal. (Foto Arquivo JBFoco)

https://chat.whatsapp.com/D7vhA0aRnv1AwiF51xznxl

Clique no link acima e receba gratuitamente notícias do JBFOCO regional. Nesse grupo não existe interação. Somente recebimento de matérias jornalísticas de Biguaçu, Antônio Carlos, Governador Celso Ramos e região.

Publicidade