Publicidade

Você conhece Neusita Azevedo? Você sabia, que além de grande escritora, ela declama com perfeição e faz ótimos ensaios na música?

Texto: Professor Miguel João Simão.  –

Belarmino e Dalma Azevedo – pais de Neusita (Divulgação)
Neusita com confreiras e apoiadores da Academia de Letras de Biguaçu (Divulgação)

Escritor e Pesquisador.

Em mais de oitenta textos, entre poesias, crônicas e pequenos contos a autora de “Cantando Meu Chão” – 2002, Neusita Luz de Azevedo Churkin define o orgulho de ser gancheira e de ter nascido numa família tradicional e bem-conceituada nas terras de Ganchos.

Filha dos professores Belarmino Hipólito Azevedo e Dalma Luz de Azevedo, a caçula de 8 irmãos, teve uma infância alegre e divertida como ela mesma descreve nas páginas de seu primeiro livro.

Entre as pedras nas praias de Canto dos Ganchos, e os verdes da mata, a menina Neusita cantava sua terra desde pequena. Tinha nos irmãos a parceria para as brincadeiras e orientações, e nos primos o divertimento garantido nos finais de semanas.

Foi cedo para a escola, sendo uma das últimas alunas a estudar na primeira escola de Canto dos Ganchos, a antiga escola da Colônia dos pescadores, que fechou suas portas no ano de 1952, onde teve a oportunidade de ser aluna de sua mãe, e ainda ter a companhia do pai e da irmã Nely, professores na ocasião.

A filha do seu Belrmaino e de dona Dalma, nasceu em canto dos Ganchos no dia 28 de dezembro de 1946.

De uma menina alegre, a uma adolescente criativa e dedicada, Neusita nasceu no berço de uma família Presbiteriana por tradição, e sempre prezou por valores morais e pela família. Na igreja, era sempre ela, quem preparava os versinhos para as datas comemorativas, e nas festas natalinas organizava junto com os familiares, festas para a criançada, independente da religião, todos saiam satisfeitos e felizes com os doces e presentes distribuídos pela família Azevedo.

Depois de estudar na escola da Colônia passou para a Escola Professora Leontina dos Santos Negreiros, sendo aluna da professora Alcina, a quem se refere com o maior carinho e respeito.

“Dona Alcina era um exemplo de professora. Muito boa e muito atenciosa, ensinava a gente com maior carinho”. As palavras de Neusita descrevem a importância que teve a professora Alcina das Mercês Baldança em sua vida escolar, nunca esquecendo o ensinamento da professora que conquistou o Canto dos Ganchos nos anos da década de 1950.

Depois de frequentar a escola e na terra natal, passou a estudar em Ganchos do Meio, onde permaneceu pouco anos, e logo foi para Biguaçu, para completar o ensino fundamental na Escola José Brasilício. Para adiantar o curso, a noite se dedicava ao supletivo de ensino médio no Colégio Maria da Glória.

Caprichosa e com vontade de vencer, dois anos depois passa a estudar no Instituto Estadual de Educação, onde completou o Curso de Auxiliar de Tradutor e Intérprete em Inglês.

Entre os anos de 1973 e 74, teve seu primeiro emprego numa loja em Florianópolis, de nome Loja Capital.

Passando também no Hospital de Caridade com a função no Setor Pessoal e no SESI.

Sua dedicação a fez vencer o tão difícil vestibular na época, e alcançar uma vaga no Curso de Letras na Universidade Federal de Santa Catarina.

Iniciou sua carreira no magistério na Escola Teófilo Régis em Sorocaba (Biguaçu), passando por Ganchos onde foi Diretora do Colégio Dr. Aderbal Ramos da Silva, Joaçaba e Capinzal, encerrando seu círculo no magistério no início dos anos de 1990, quando se aposentou.

Neusita, casou em 1979 com o Delegado de Polícia Claudinei Churkin, natural de Rio das Antas. Do casamento nasceu em 1984, seu filho Samuel Churkin.

Após sua aposentadoria, Neusita passou a dedicar-se mais a igreja que congrega e a literatura.

Membro de diversas instituições literárias, ajudou a fundar a Academia de Letras de Governador Celso Ramos em 2004, e em 2006 passou a fazer parte da Academia de Letras de Biguaçu.

É membro fundadora da Academia de Letras do Brasil de Santa Catarina (ALBSC), onde participa ativamente dos eventos como uma das mais importantes declamadoras do grupo.

A mãe de Samuel tornou-se uma importante personalidade no meio literário catarinense por suas belas poesias, suas crônicas e contos, além de sua encantadora voz a declamar e a cantar.

Autora de 4 livros solo, e participação em dezenas de antologias, Neusita é uma gancheira que nos dá orgulho por honrar o chão onde nasceu, e que vive em companhia do esposo.

Sua vida marcada pelos ensinamentos que deu aos alunos, que passa aos seu confrades e confreiras nas Academias de Letras em que frequenta, honra bem o nome de seus antigos professores, de seus pais, esposo, filho, irmãos e amigos.

Neusita é irmã caçula de Nely, Neusa, Neri, Neide, e dos falecidos: Nei, Neide e Neusete).

Neusita é gente que faz!.

 

Publicidade